Covid: cidades do Entorno desistem de controle e vacinam público do DF

Águas Lindas e Cidade Ocidental decidiram não exigir comprovação de residência, diante da dificuldade de separar quem é de Goiás e do DF

atualizado 23/06/2021 7:15

VacinaçãoGustavo Moreno / Metrópoles

Goiânia – Águas Lindas de Goiás e Cidade Ocidental, ambas no Entorno do Distrito Federal, já desistiram de exigir comprovante de endereço na hora da vacinação contra a Covid-19 para evitar que pessoas de outros locais, principalmente de Brasília, recorram aos seus postos de vacinação.

A política adotada nos dois municípios tem sido a de não negar vacina, desde que a pessoa esteja devidamente agendada e dentro dos critérios prioritários e de faixa etária. Enquanto o Distrito Federal vacina pessoas a partir de 49 anos, em Águas Lindas a vacinação já atende o público a partir dos 45, e, em Cidade Ocidental, a partir dos 48.

Essa diferença tem motivado o interesse e o deslocamento crescente de moradores do DF, em busca da primeira dose da vacina contra a Covid. Nas duas cidades, os responsáveis pelo planejamento da vacinação alegam que o nome do Sistema Único de Saúde (SUS) já justifica a postura adotada. Para eles, o sistema é universal e não se deve negar vacina.

“Não podemos cobrar o comprovante de endereço, porque o sistema é único. O que a gente faz é tentar orientar as pessoas e explicar que nos locais onde elas moram também há vacinação. Eu não posso simplesmente negar o atendimento, porque estaria ferindo a regra do sistema universal. Tem muita gente de Brasília que vem vacinar em Águas Lindas. Já teve gente até de Minas Gerais, que chegou com mala e tudo no local de vacinação”, conta o responsável técnico em Vigilância em Saúde de Águas Lindas, Euder Vieira.

Outras cidades do Entorno, no entanto, como Valparaíso de Goiás, Novo Gama, Santo Antônio do Descoberto, Luziânia e Formosa, seguem cobrando o comprovante de endereço, conforme o verificado pela reportagem do Metrópoles. A decisão de Águas Lindas e Cidade Ocidental é exceção em relação ao cenário que predomina na maioria dos locais.

“Não temos esse monitoramento de comprovante de endereço mais. Tentamos no início da vacinação, para controlar, os agentes de saúde estavam até fazendo visitas nas casas para verificar, mas fugiu do nosso controle. Tem muitas pessoas do DF vindo vacinar aqui e muita gente daqui, também, que vacina lá”, diz a coordenadora de Vigilância em Saúde e Epidemiológica de Cidade Ocidental, Eliane Chagas.

0
Metas e risco de falta de vacina

As metas de imunização, segundo Eliane e Euder, estão sendo atingidas nos dois municípios. Dados do painel eletrônico da Covid-19, atualizado pela Secretaria de Estado da Saúde de Goiás (SESGO), mostram que as duas cidades estão, na verdade, com índices de vacinação ou de cobertura vacinal abaixo da média estadual.

Em Águas Lindas, 13,81% da população recebeu a primeira dose da vacina e apenas 4,92% foram completamente imunizados com as duas doses. Em Cidade Ocidental, o percentual é de 22,26% da população já atendida com a primeira dose e 8,9% com as duas doses.

A diferença pode ocorrer, devido ao atraso de cadastro das informações ou atualização dos dados no sistema. Apesar disso, as médias de todo o Estado estão acima: 29% da população vacinada com uma dose e 9,82% com as duas doses.

Euder reconhece que o atendimento de públicos de fora da cidade pode ocasionar a falta de vacinas para quem mora no local. Ele alega, no entanto, que não tem muito o que fazer. “A gente tem que colocar para andar. Não podemos ficar com as doses paradas aqui. A meta é atender os grupos prioritários e as faixas etárias, conforme o avanço da vacinação”, diz ele.

Regras e locais

Em Águas Lindas, o agendamento está sendo feito pelo site da prefeitura. Na hora e local indicados, a pessoa deve comparecer e apresentar, somente, o documento pessoal. Segundo Euder, as pessoas são chamadas pelos nomes. Aquele que fazem parte do grupo de comorbidades devem apresentar o laudo médico que comprova a condição.

Em Cidade Ocidental, o agendamento estava sendo feito apenas para grávidas e puérperas. Os demais grupos bastam comparecer nos locais indicados (Ginásio Lindolfo Lima e Posto de Saúde do Jardim ABC) e apresentar RG, CPF, cartão de vacina e cartão do SUS.

0
Outras cidades do Entorno 

Nas demais cidades do Entorno do DF, os documentos exigidos e as faixas etárias atendidas são as seguintes:

Novo Gama: público geral a partir de 48 anos, comorbidades e profissionais da educação. O local de vacinação fica no Ginásio Poliesportivo de Novo Gama, das 8h às 17h, e a pessoa deve levar identidade, CPF, cartão de vacina e comprovante de endereço.

Valparaíso de Goiás: público geral a partir de 48 anos, comorbidades, gestantes e puérperas. Os locais são a Unidade Básica de Saúde (UBS – Etapa C) e o Ginário de Esporte da Escola Municipal Céu Azul, ambos das 9h às 17h. A pessoa deve apresentar RG, CPF e comprovante de residência original.

Luziânia: público geral a partir de 48 anos, no Hospital Materno Infantil, no Cais e nas unidades de saúde do Mingone II e do Jardim Ingá. Pessoas devem apresentar documento com foto, CPF, comprovante de endereço e cartão do SUS.

Santo Antônio do Descoberto: a cidade começou a vacinar, assim como Águas Lindas, público geral a partir de 45 anos. A vacinação é feita por ordem de chegada e, conforme a quantidade de senhas disponibilizadas diariamente (300). O local é a Tenda da Igreja Matriz. Público deve comparecer com CPF, documento com foto, comprovante de residência e cartão de vacina.

Formosa: público geral a partir de 50 anos. Os locais são o drive-thru implantado no Parque de Exposições da cidade e as Unidades Básicas de Saúde (UBS) Formosinha, Vila Carolina e Califórnia. As pessoas devem apresentar documento com foto, CPF, cartão da gestante, para o caso das grávidas, comprovante de endereço, laudo médico, no casos do integrantes do grupo de comorbidades, e certidão de nascimento do recém-nascido (apenas no caso das lactantes).

Últimas notícias