Corpo de Bruno Covas será enterrado em Santos, cidade onde nasceu

O prefeito de São Paulo morreu neste domingo (16/5), aos 41 anos, vítima de câncer. Covas lutou contra a doença por quase dois anos

atualizado 16/05/2021 12:38

Bruno Covas (PSDB), candidato à reeleição durante visita e eleitores em são paulo eleicoes 2020 SPFábio Vieira/Especial Metrópoles

São Paulo – O corpo do prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), morto neste domingo (16/5), vítima de câncer, será levado do Hospital Sírio-Libanês até a sede da prefeitura, no Edifício Matarazzo, no centro da capital.

Às 13h, haverá uma breve homenagem reservada a familiares e amigos mais próximos, no hall monumental do terceiro andar do edifício.

A entrada será restrita aos poucos convidados da família, para não gerar, em hipótese alguma, aglomeração, por causa das restrições sanitárias impostas pela pandemia, informou a prefeitura, em nota. A imprensa registrará esse último momento em sistema de rodízio.

Em seguida, o corpo de Covas seguirá, em carro aberto, em cortejo por algumas das principais vias do centro de São Paulo até a Avenida Paulista (confira o roteiro abaixo).

Por fim, será sepultado na cidade de Santos (SP), terra natal do prefeito, em cerimônia restrita à família.

Covas lutava contra câncer

Bruno Covas faleceu às 8h20 deste domingo, em consequência do agravamento de um câncer diagnosticado na cárdia, região entre o estômago e esôfago, em outubro de 2019. Ele foi submetido a um intenso tratamento de quimioterapia e radioterapia que o fez perder peso.

Entretanto, a equipe médica do hospital Sírio-Libanês conseguiu reduzir o tumor com metástase, e ele pôde retornar às atividades em 2020. Com a melhora, Covas entrou na disputa para vencer a eleição de prefeito de São Paulo, que conquistou no segundo turno em vitória contra Guilherme Boulos (PSol), com 59,38% dos votos.

No início deste ano, Covas chegou a pedir licença não remunerada para tratar a doença. No final de abril, a equipe médica do Sírio-Libanês constatou nódulos no fígado e nos ossos. Ele estava licenciado do cargo por 30 dias.

Em 2 de maio, ele foi internado mais uma vez após passar mal em casa. Covas chegou a ser intubado e transferido a um leito de unidade de terapia intensiva (UTI), mas foi extubado e recebeu alta da UTI. Contudo, seu estado de saúde teve piora na sexta-feira (14/5), data em que o corpo clínico considerou seu quadro “irreversível”.

Ele estava sob os cuidados das equipes médicas coordenadas por David Uip, Artur Katz, Tulio Eduardo Flesch Pfiffer, Raul Cutait e Roberto Kalil.

Economista e advogado de formação, Covas deixa seu filho, Tomás Covas, de 15 anos.

O vice Ricardo Nunes (MDB) assume a administração da maior cidade do país pelo menos até dezembro de 2024.

Percurso do cortejo com o corpo do prefeito Bruno Covas:

– Edifício Matarazzo
– Viaduto do Chá
– Praça Ramos de Azevedo
– Rua Conselheiro Crispiniano
– Largo Paissandu
– Avenida São João
– Avenida Ipiranga
– Rua da Consolação
– Túnel José Roberto Fanganiello Melhem
– Avenida Paulista
– Praça Oswaldo Cruz

0

Últimas notícias