Cônsul acusou hospital por abandono antes de morrer por Covid-19

Jorge González Sebá morreu na última quarta-feira (25/3), mas deixou áudios denunciando profissionais de não chegarem perto dele por medo

atualizado 28/03/2020 13:01

Capitão reformado do Exército e cônsul honorário do Suriname no Rio de Janeiro, Jorge José González Sebá morreu na última quarta-feira (25/3), com sintomas de coronavírus. Antes de morrer, ele deixou áudios acusando o hospital Rio Mar de abandoná-lo por receio de contaminação.

Jorge Sebá tinha 60 anos, era diabético e foi internado, em 21 de março, com febre e falta de ar. O hospital confirmou a morte dele por suspeita de Covid-19, mas afirmou que o paciente recebeu “todo o atendimento possível”. As informações são do portal Extra.

Em uma das gravações feitas pelo cônsul na UTI, ele disse que os profissionais de saúde evitam se aproximar dele. “Me deixaram aqui sem informação, isolado, como se fosse um bicho. Eu me esgoelo, eu grito, eu chamo as pessoas, ninguém atende. Tenho dificuldade até para urinar”, disse.

A família avalia processar o hospital por negligência e omissão de socorro.

Últimas notícias