Companheiro de moradora de rua assassinada: “Ela estava com fome”

A mulher foi morta na madrugada do último sábado (16/11/2019) em Niterói (RJ) ao pedir R$ 1

ReproduçãoReprodução

atualizado 22/11/2019 13:23

Antes de ser assassinada a tiros, a moradora em situação de rua Zilda Henrique dos Santos Leandro, de 31 anos, reclamou estar com fome. “Estávamos deitados e ela [Zilda] disse que estava com muita fome, que precisava pedir dinheiro na rua e comprar pão”, contou o companheiro da vítima Fabiano Trindade, 29, ao jornal Extra.

Conhecida como Neia, a mulher foi morta baleada após pedir R$ 1 para comprar pão. O episódio ocorreu no fim da madrugada do último sábado (16/11/2019), em Niterói, na região metropolitana do Rio de Janeiro. 

“Eu ainda falei para ela esperar, que aquela hora não tinha nenhum padaria aberta, mas ela não me ouviu. Acabou acontecendo essa tragédia”, relatou Fabiano. Também morador em situação de rua, ele diz que Neia saiu de casa há cerca de dez anos, depois de brigar com a família.

Por fim, o companheiro da vítima conta ter escutado os tiros que atingiram a mulher. “Eu estava deitado e ouvi os tiros, mas não imaginei que pudessem ser para ela. Lembro de ter ouvido um ou dois disparos”, disse.

Acusado de ser o autor do assassinato, Aderbal Ramos de Castro aguarda transferência para uma unidade prisional. Ele foi flagrado por câmeras de segurança atirando contra a vítima. A advogada Daniella Lopes, defensora do suspeito, destaca que vai entrar com pedido de habeas corpus. 

Zilda foi sepultada na manhã da última terça-feira (19/11/2019), no Cemitério de Maruí, Barreto, em Niterói.

Últimas notícias