*
 

O advogado de defesa de Alexandre Nardoni e Ana Carolina Jatobá, condenados pelo assassinato de Isabella Nardoni, em março de 2008, ingressou com pedido de habeas corpus no Supremo Tribunal Federal (STF). O objetivo é que o casal, pai e madrasta da menina, tenham a pena reduzida. Ana Carolina deverá permanecer presa por 26 anos e 8 meses. Já Alexandre Nardoni foi condenado a 30 anos, 2 meses e 20 dias. As informações são do jornal O Globo.

De acordo com o advogado Roberto Podval, a sentença do juiz Maurício Fossem, do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJSP), foi “exagerada e desproporcional”. O defensor do casal disse que a comoção da mídia em torno do caso influenciou na fixação da pena.

Podval informou, ainda, que a redução pedida é proporcional à sentença de cada um. Ele argumenta o fato de, igualmente como nos julgamentos de Suzane Von Richtofen e Gil Rugai, o casal foi vítima de assédio dos veículos de comunicação responsáveis por cobrir o caso na época do assassinato de Isabella.

O pedido de habeas corpus, cujo conteúdo permanece sob sigilo, foi protocolado no STF em 2 de março. O caso será relatado pelo ministro Dias Toffoli.

Regime semiaberto
Presa desde 2008, ano do crime, Ana Carolina Jatobá foi autorizada a cumprir pena em regime semiaberto, mediante a justificativa de cumprir no presídio suas tarefas disciplinares de forma satisfatória. Além disso, há laudo psicológico afirmando que a chance de a detenta cometer novo crime é “nula”.

A Justiça de São Paulo concedeu em julho do ano passado a progressão de regime, permitindo a ela o direito de trabalhar fora e retornar ao presídio à noite. Alexandre está preso na Penitenciária Doutor José Augusto Salgado, a P2 de Tremembé, em São Paulo, e ainda não tem direito a pedir a progressão de pena.