Caiado sobre João de Deus: “Constrangedor e triste”

Para o governador eleito de Goiás, que se diz amigo do médium, é difícil acreditar nas denúncias de assédio sexual

ReproduçãoReprodução

atualizado 13/12/2018 15:12

Governador eleito pelo estado de Goiás e amigo de João de Deus, o senador Ronaldo Caiado (DEM-GO) classificou como “constrangedor e triste” o escândalo sexual envolvendo o médium. Para o parlamentar, “é difícil crer em tudo aquilo que foi colocado” sobre uma pessoa que sempre “teve os melhores conceitos de pessoas do mundo inteiro”.

O parlamentar esteve no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB) nesta quarta-feira (12/12), sede do governo de transição, na reunião do DEM com o presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL).

“É difícil, triste até, acreditar em tudo isso de uma pessoa que sempre teve os melhores conceitos de pessoas que vêm do mundo inteiro [para visitá-lo]. Vamos aguardar o que a Justiça vai levantar, e é sobre essa decisão que nós temos que nos curvar”, disse Caiado.

O futuro governador de Goiás não escondeu a frustração com as acusações sobre João de Deus, mas prefere aguardar o fim das investigações. “É um constrangimento a todos. Até difícil de crer em tudo aquilo que foi colocado [sobre ele]. É uma decisão que, repito, caberá aos órgãos competentes levantar a procedência. Não anteciparia e não sou pessoa de fazer juízo de valor antecipado. Acho que cada cidadão tem o direito de se apresentar e fazer a sua própria defesa”, defendeu o senador.

Suspeito de abusar de mulheres durante tratamentos espirituais na Casa Dom Inácio de Loyola, em Abadiânia (GO), onde atende pacientes há 44 anos, João de Deus refutou as denúncias de abuso e afirmou que a Justiça irá decidir sobre as acusações.

Em vídeo de 2015, Caiado aparece elogiando João de Deus durante o aniversário do médium. Segundo o parlamentar, a relação deles é “de família, uma ligação de longa data”. Na gravação, Caiado também elogia o “dom da cura” do médium.

Denúncias
Até o momento, 450 denúncias foram protocoladas em ministérios públicos de 10 estados e no Distrito Federal. Coordenador do Centro de Apoio Operacional Criminal do Ministério Público de Goiás, Luciano Miranda Meireles, avalia que as denúncias de abuso sexual envolvendo o líder espiritual João Teixeira de Faria têm potencial para alcançar uma dimensão maior do que o caso de Roger Abdelmassih.

Dos 206 relatos recebidos pela força-tarefa em Goiás até o momento, 156 foram feitos por meio do canal exclusivo criado para receber os depoimentos, o e-mail denuncias@mpgo.mp.br. Outras 252 pessoas delataram o médium para o Ministério Público de São Paulo (MPSP). Ainda não houve comunicação oficial entre os órgãos nos dois estados e pode existir duplicidade de casos.

Últimas notícias