Butantan inicia testes com soro anti-Covid em primeiro paciente

O medicamento não é capaz de curar nem de prevenir a doença; objetivo é amenizar sintomas e evitar casos graves

atualizado 16/11/2021 18:53

produção coronavac - instituto butantanFábio Vieira/Metrópoles

São Paulo – Começou a ser testado no primeiro paciente o soro anti-Covid desenvolvido pelo Instituto Butantan. Um homem transplantado de 65 anos recebeu o soro na última sexta-feira (12/11) no Hospital do Rim, na zona sul de São Paulo, de acordo com reportagem do G1.

O imunobiológico está sendo testado para descobrir se ele consegue amenizar os sintomas e evitar casos graves de Covid-19 nas pessoas já infectadas. O medicamento não é capaz de curar nem de prevenir a doença.

Produzido com plasma de cavalos, o soro não vai substituir a vacina, mas, se funcionar, será uma possibilidade de tratamento para pessoas diagnosticadas com a doença.

Segundo o Hospital do Rim informou ao G1, o primeiro paciente a receber o soro não teve nenhum efeito colateral, e a resposta ao medicamento foi adequada.

O teste do soro vai envolver 30 indivíduos. Para receber a medicação, a pessoa tem de ter sido diagnosticada com uma manifestação leve do coronavírus, de modo a prevenir a evolução para um quadro grave da doença.

Ainda não há prazo para divulgação dos primeiros resultados.

O paciente número 1 testado está sendo observado em leito semi-intensivo, onde ficará por 28 dias.

Também serão feitos testes em pessoas com Covid-19 e câncer internadas no Hospital das Clínicas. Na segunda fase, devem participar 558 pacientes transplantados e oncológicos.

O início dos testes foi autorizado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) em maio deste ano.

Mais lidas
Últimas notícias