Bolsonaro reclama de CPI: “Para o mundo todo vai que eu sou homicida”

A apoiadores no cercadinho do Palácio da Alvorada, presidente reagiu a possível sugestão de indiciamento no relatório final da comissão

atualizado 15/10/2021 22:47

Ministro da Saúde Marcelo Queiroga Atletas olímpicos e paralímpicos Jogos de Tóquio são recebidos pelo presidente Jair Bolsonaro no Palácio do PlanaltoHugo Barreto/Metrópoles

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) está incomodado com as notícias de que o relatório do senador Renan Calheiros (MDB-AL) na CPI da Covid-19 deverá pedir seu indiciamento, acusando-o de uma série de crimes relacionados a ações e omissões no combate à pandemia. Em conversa com apoiadores no cercadinho montado na entrada do Palácio da Alvorada na noite desta sexta-feira (15/10), Bolsonaro reclamou dos danos à sua imagem que as notícias estão causando.

“O que que passa na cabeça do Renan Calheiros naquela CPI com esse indiciamento?”, questionou Bolsonaro.

“Esse indiciamento, para o mundo todo vai que eu sou homicida. Eu não vi nenhum chefe de estado [refere-se a governadores] ser acusado de ser homicida no Brasil por causa da pandemia. E olha que eu dei dinheiro pra todos eles. Agora, o Renan Calheiros não se interessou em apurar o Consórcio Nordeste, o Carlos Gabas”, completou.

Veja a fala do presidente:

Pelo menos 11 crimes

No último dia 11 de outubro, o Metrópoles noticiou que a mais recente versão do relatório final a ser votado pela CPI da Covid-19 vai propor o indiciamento do presidente Jair Bolsonaro por pelo menos 11 crimes: charlatanismo; incitação ao crime; falsificação de documento particular; prevaricação; genocídio de indígenas; epidemia com resultado morte; infração de medida sanitária preventiva; emprego irregular de verbas públicas; crime contra a humanidade; crime de violação de direito social; e incompatibilidade com dignidade, honra e decoro do cargo.

Mais lidas
Últimas notícias