Alessandro Vieira apresenta relatório paralelo ao de Renan, com menos indiciados

Enquanto o relator da CPI da Covid quer sugerir o indiciamento de 50 pessoas, Vieira defende a redução do número para 18 indiciados

atualizado 15/10/2021 17:35

Alessandro Vieira_CPI da Covid-19Waldemir Barreto/Agência Senado

O senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE) anunciou que apresentará um relatório paralelo ao de Renan Calheiros (MDB-AL) na CPI da Covid-19. O documento foi protocolado nesta sexta-feira (15/10) e sugere o indiciamento do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e outras 17 pessoas – menos da metade do montante de indiciados sugeridos pelo emedebista.

O relatório do membro suplente da comissão está divido em cinco tópicos: gestão e definição de políticas públicas de combate à pandemia; mortes evitáveis; indícios de mau uso de recursos públicos; análise dos pareceres e notas técnicas e propostas legislativas.

No texto, há indiciamento de Bolsonaro por sete crimes, sendo eles: crime de responsabilidade, epidemia, infração de medida sanitária preventiva, charlatanismo, incitação ao crime e crime contra a humanidade. Vieira também sugere novas investigações a fim de esclarecer se o presidente prevaricou no caso da Covaxin.

O parlamentar afirma que os eventuais indiciados “exerceram função tangencial” na má gerência da pandemia no país.

“A chave para a distinção está no poder de decisão e no alcance da atuação de cada figura. Assim, por exemplo, parlamentares, médicos e empresários que se prestaram a desinformar reiteradamente a população, em uma mistura enojante de ignorância e bajulação, merecem o desprezo eterno dos brasileiros, mas não serão apontados como personagens centrais neste documento, o que não afasta as apurações em andamento no STF e na CPMI das Fake News”, explica o senador.

Veja os indiciados do  relatório paralelo: 

– Presidente Jair Bolsonaro;
– Ministro da Defesa, Walter Braga Netto;
– Ministro da Economia, Paulo Guedes;
– Líder do Governo na Câmara, Ricardo Barros (PP-PR);
– Secretário de Política Econômica do Ministério da Economia, Adolfo Sachsida;
– Ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello;
– Ex-secretário Executivo do Ministério da Saúde Antônio Élcio Franco Filho;
– Ex-coordenador do Centro de Coordenação de Operações Heitor Freire de Abreu;
– Secretária de Gestão, do Trabalho e de Educação na Saúde, Mayra Correia Pinheiro;
– Secretário Especial de Saúde Indígena, Robson Santos da Silva;
– Ex-ministro da Cidadania Onyx Lorenzoni;
– Ex-ministro de Relações Exteriores Ernesto Araújo;
– Ex-secretário Especial de Comunicação Social, Fábio Wajngarten;
– Representantes da Prevent Senior, Pedro Batista e Fernando Parillo;
– Virologista Paolo Zanotto;
– Coordenador da pesquisa Androcov, Flávio Cadegiani;
– Deputado federal Osmar Terra (MDB-RS).

Mais lidas
Últimas notícias