Bolsonaro após entrevista: “Sem representação da ANJ, valeu?”

Presidente reclamou de ser acusado por entidades representativas de jornalistas de agredir profissionais da imprensa

atualizado 23/01/2020 11:06

Rafaela Felicciano/Metrópoles

Após dizer que não concederia mais entrevistas, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) ironizou, nesta quinta-feira (23/01/2020), a repercussão sobre a recusa em falar com a imprensa. Após conversar com jornalistas, o chefe do Executivo disse: “Sem representação da ANJ, valeu?”.

Nessa quarta-feira (22/01/2020), Bolsonaro reclamou de ser acusado por entidades representativas de jornalistas de agredir profissionais da imprensa. “Eu quero falar com vocês, mas a Associação Nacional de Jornalistas diz que, quando eu falo, eu agrido vocês. Como eu sou uma pessoa da paz, não vou dar entrevista. Manda tirar o processo que eu volto a conversar”, disse, na ocasião.

O presidente trocou o nome das entidades e, ao dizer ANJ, se referia à Federação Nacional de Jornalistas (Fenaj), que apontou 208 ataques a veículos de comunicação e profissionais em 2019 passado no Brasil. Bolsonaro foi responsável por 121 desses casos — 58% do total —, segundo a entidade.

O chefe do Executivo ainda mencionou um processo na Justiça que, segundo a Fenaj, não existe.

Últimas notícias