Bolsonaro se recusa a dar entrevista: “Não posso agredir vocês”

Fenaj aponta que o presidente foi responsável por 121 dos 208 ataques a veículos de comunicação e a jornalistas no ano passado

atualizado 22/01/2020 10:58

Andre Borges/Esp. Metrópoles

Ao sair nesta quarta-feira (22/01/2020) do Palácio da Alvorada, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) se recusou a dar entrevistas alegando que é acusado por entidades representativas de jornalistas de agredir os profissionais.

“Eu quero falar com vocês, mas a Associação Nacional de Jornalistas diz que, quando eu falo, eu agrido vocês. Como eu sou uma pessoa da paz, não vou dar entrevista. Não posso agredir vocês aí. Manda tirar o processo que eu volto a conversar”, disse o mandatário da República, sem especificar a que processo estava se referindo.

A irritação do chefe do Executivo se dá após levantamento da Federação Nacional de Jornalistas (Fenaj) que aponta 208 ataques a veículos de comunicação e a jornalistas no ano passado. Bolsonaro foi responsável por 121 desses casos — 58% do total —, segundo a entidade.

De acordo com a Secretaria de Comunicação do Planalto, na entrevista, o presidente se referiu ao recente relatório da entidade quando disse “retira o processo”.

Fenaj
De acordo com a dirigente da Fenaj, Maria José Braga, não há nenhuma medida jurídica tomada pela federação, até o momento, no sentido de responsabilizar o titular do Planalto. “Estamos articulando reunião com outras entidades para discutir a possibilidade de tomar essas medidas na Justiça”, sinalizou.

Após deixar o Alvorada, o presidente também comentou o assunto nas redes sociais:

Últimas notícias