Baleado por sniper, sequestrador de BH não corre risco de morrer

A polícia não confirma, mas a bala acertou o rosto, atravessou o pescoço e saiu pela escápula, porém, não atingiu nenhum órgão vital

atualizado 22/09/2022 16:29

Reprodução

O sequestrador de Belo Horizonte Leandro Mendes Pereira foi levado ao bloco cirúrgico do Hospital de Pronto-Socorro João XXIII, na capital mineira. Ele foi atingido por uma bala disparada por um atirador de elite da Polícia Militar. O projétil acertou o rosto, atravessou o pescoço e saiu do corpo pela região da escápula. Devido ao fato de a bala não ter atingido nenhum órgão vital, o homem não corre risco de morrer.

Ele foi baleado pela polícia após as negociações falharem. As autoridades pediam que ele soltasse o ex-enteado, de 7 anos de idade, e o amigo da ex-companheira, de 23. Leandro manteve os dois como reféns por cerca de 15 horas.

Publicidade do parceiro Metrópoles 1
0

Na quarta-feira (21/9), Leandro foi à casa da mulher com quem tinha relação  e tentou abordá-la, mas ela escapou com a ajuda de um vizinho. Segundo testemunhas, Leandro e a mulher são primos e ele não aceitava o fim do relacionamento, que teria terminado há aproximadamente dois meses.

O filho dela, no entanto, foi feito refém junto ao amigo da mulher. O menino tem 7 anos, é autista e sofre de epilepsia. O sequestro durou mais de 15 horas e os reféns foram liberados depois que Leandro foi baleado por um sniper, atirador de elite da polícia. Ele foi socorrido em estado grave.

O homem invadiu a casa às 18h dessa quarta-feira (21/9). Ele manteve os dois reféns sob a mira de um revólver e dizia que só sairia da residência morto. Policiais do Batalhão de Operações Especiais (Bope) tentaram negociar a liberação das vítimas, sem sucesso.

Mais lidas
Últimas notícias