Assembleia de Minas suspende impeachment de Fernando Pimentel

O pedido foi apresentado semana passada. Nesta quarta (2/5), parlamentares petistas conseguiram adiar análise por ao menos uma semana

atualizado 02/05/2018 23:44

Governo de Minas/Divulgação

Parlamentares petistas conseguiram atrasar por mais uma semana a tramitação do pedido de impeachment contra o governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel (PT). O requerimento foi apresentado na semana passada, na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG). As informações foram divulgadas pelo jornal O Globo.

De acordo com a reportagem, o adiamento ocorreu por meio de duas questões de ordem. Uma delas foi proposta pelo líder do governo, Durval Ângelo (PT), e a outra, apresentada pelo primeiro-secretário da mesa da Casa, o deputado estadual Rogério Correia (PT).

Os políticos argumentaram que a denúncia contra Pimentel não foi lida em plenário pelo presidente da Casa, Adalclever Lopes (PMDB), mas sim pelo primeiro-vice-presidente, Laffayete Andrada (PRB) – uma irregularidade. Eles também alegaram não haver fundamentação para o pedido no momento da leitura, nem sequer na própria denúncia, de autoria do advogado mineiro Mariel Marra.

Segundo as informações publicadas pelo jornal O Globo, a oposição afirmou que as questões de ordem são meramente protelatórias, porque o arquivamento não é mais possível – o processo de impeachment já foi publicado no Diário Oficial, no dia 28 de abril.

Fernando Pimentel é acusado de atrasar o repasse de duodécimos para prefeituras do interior de Minas, bem como a servidores do Judiciário e da própria Assembleia. O Partido dos Trabalhadores (PT) atribui a crise fiscal aos governos anteriores do PSDB. O deficit previsto para 2018 é de R$ 8 bilhões.

Mais lidas
Últimas notícias