*
 

O assassino de Kelly Cristina Cadamuro, 22 anos, a jovem que morreu após combinar uma carona pelo WhatsApp, foi agredido na prisão.

Ele estava em uma cela no Presídio de Frutal (MG), de acordo com a Secretaria de Estado de Administração Prisional (Seap), e o ferimento ocorreu na noite de sexta-feira (3/11).

Jonathan Pereira do Prado, 33 anos, aparece com a cabeça enfaixada em uma foto divulgada por Samir Alouan, da Rádio 97 FM/Pontal Online.

Foto: Samir Alouan/Rádio 97 FM/Pontal Online

Ele teve um corte no supercílio e precisou ser atendido por uma enfermeira da unidade prisional. Após agressões, ele foi transferido para cela isolada.

A direção-geral da unidade prisional informou ter instaurado um procedimento administrativo para apurar responsabilidades pela agressão.

Kelly Cristina Cadamuro morava em Guapaiaçu, na região de São José do Rio Preto (SP), e estava desaparecida desde a tarde de quarta-feira (1/11), quando combinou uma viagem pelo aplicativo para Minas Gerais.

Segundo a Polícia Militar, a jovem estava seminua, com a cabeça mergulhada em um córrego, quando foi encontrada. A calça que ela usava foi achada a 3km do local em que corpo estava.

 

 

COMENTE

feminicídioKelly Cadamuro
comunicar erro à redação