Apostila para estrangeiros do Itamaraty tem ataques racistas e a políticos

No material, há menção a cabelos sem alisamento, ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e ao MST

Rafaela Felicciano/Metrópolrd

atualizado 15/07/2020 11:39

Para ajudar estrangeiros que tentam aprender o português, o Itamaraty distribuiu um material didático ensinando a língua aos imigrantes e turistas. A apostila, no entanto, tem frases que fazem de juízo de valor de caráter político, social e racial.

No material, o estrangeiro deve conjugar o verbo “ficar” para completar a frase: “Se ela alisasse o cabelo, ela (…) mais bonita.”

Há ainda menção sobre o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, acusando-o de corrupção, comentários sobre o escândalo do mensalão e opiniões sobre aborto.

Em outra sentença, o documento sugere que o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) se apropria das terras privadas retirando-as dos proprietários. “Se o MST se (…) de nossas terras, nunca mais (…) revê-las”, no qual o aluno deve completar com a conjugação adequada para os verbos “apropriar” e “conseguir”.

Apostila Itamaraty

O material foi elaborado por uma professora dona de uma escola de idiomas em São Paulo.

Em resposta à polêmica, o Itamaraty disse que a apostila “não se coaduna com as diretrizes estabelecidas pelos guias curriculares”, garantindo a retirada da página da Rede Brasil Cultura, onde ficava disponível. O livro estava no ar deste 2013 e, segundo o Órgão, foi incluído por “terceiros”.

Últimas notícias