Após caso João Beto, Carrefour anuncia fundo para inclusão social de negros

"Este movimento é o primeiro passo da empresa para que o combate ao preconceito e racismo estrutural", diz Noel Prioux, CEO da empresa

atualizado 23/11/2020 22:37

Manifestação pela morte de João Alberto Freitas, um homem negro, em Carrefour de brasília 13Jacqueline Lisboa/Especial Metrópoles

Após o episódio do brutal assassinato de João Alberto Silveira Freitas, 40 anos, em um supermercado Carrefour em Porto Alegre (RS), após ser agredido por seguranças do local, o Grupo Carrefour Brasil decidiu promover “ações afirmativas para a inclusão social e econômica de negros e negras na sociedade”.

Nesta segunda-feira (23/11), a empresa anunciou a criação de um fundo que inicialmente disporá de R$ 25 milhões. O valor é adicional a outra medida a ser tomada pelo grupo: reverter pra o fundo todo o resultado das vendas realizadas em todos os hipermercados da rede no país no dia 20 de novembro.

“Sabemos que não podemos reparar a perda da vida do senhor João Alberto. Este movimento é o primeiro passo da empresa para que o combate ao preconceito e racismo estrutural, que é urgente no Brasil, ganhe ainda mais força e apoio da sociedade. Acreditamos que poderemos evoluir e contribuir para a construção de uma sociedade mais inclusiva e igualitária”, afirma Noel Prioux, CEO do Grupo Carrefour Brasil.

Públicos minorizados

A empresa ainda ressalta que vem se reunindo com entidades representativas da causa e com especialistas que atuam no combate ao rascismo, “visando compreender e aprender sobre como atuar de forma concreta na luta contra todo e qualquer tipo de discriminação, que inclui também outros públicos minorizados”.

Também segundo o Carrefour, a partir das reivindicações a empresa anunciará, nesta quarta-feira (25/11), os compromissos e o plano de ação do trabalho, que nortearão este fundo.

“As iniciativas compreenderão ações internas e projetos de âmbito externo, visando promover ações que envolvam seus milhares de colaboradores e também seus públicos externos”.

0

Últimas notícias