Após apoiar veto, Damares diz que vai lançar programa para distribuir absorventes

Ministra afirmou que projeto é discutido há meses e deve ser lançado nos próximos dias

atualizado 13/10/2021 9:35

Michael Melo/Metrópoles

Após defender o veto do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), a ministra da Mulher, Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, anunciou um programa de distribuição gratuita de absorventes a mulheres em situação de vulnerabilidade social. Segundo a ministra, o programa é discutido há meses e será lançado nos próximos dias.

Damares, no entanto, apoiou o veto à distribuição gratuita de Bolsonaro e chegou a questionar se a prioridade seria “vacina ou absorventes”.

A ministra fez uma publicação nesta semana em que aparece ao lado do presidente da Frente Parlamentar em Defesas dos Direitos Humanos e da Justiça Social, o deputado Roberto de Lucena (Podemos-SP).

“Na oportunidade, garanti ao parlamentar que nos próximos dias vamos anunciar o programa do governo federal para distribuição de absorventes para mulheres em situação de vulnerabilidade. Programa que já estava sendo discutido há meses dentro do governo”, escreveu Damares.

Damares foi chefe de gabinete do deputado entre 2011 e 2012. “A parceria, amizade, admiração e carinho continuam. Hoje, além do trabalho no Parlamento e no Executivo, estamos juntos na Jornada Nacional em Defesa da Vida e da Família.”

Apoio ao veto

Na semana passada, Damares defendeu o veto de Bolsonaro ao projeto de lei aprovado pelo Senado que criava um programa voltado à promoção de saúde menstrual.

“Hoje, a gente tem que decidir: a prioridade é a vacina ou é o absorvente?”, questionou a ministra. A declaração foi dada a jornalistas durante evento em Francisco Beltrão, no Paraná.

Damares ainda citou os outros governos, avaliando que as pessoas transformaram Bolsonaro em “carrasco”, sendo que outros presidentes nunca se preocuparam com o tema.

“As mulheres pobres sempre menstruaram nesse Brasil e a gente não viu nenhum governo se preocupar com isso. E agora o Bolsonaro é o carrasco, porque ele não vai distribuir esse ano”, falou.

 

Últimas notícias