Amazonas recebe vacinas de SP e grande carga de oxigênio da Venezuela

Governador paulista João Doria (PSDB) ofereceu 50 mil doses da Coronavac ao colega Wilson Lima (PSC)

atualizado 17/01/2021 23:39

CoronavacFábio Vieira/Metrópoles

Vivendo um colapso em seu sistema de saúde por causa do rápido aumento de infecções e mortes pelo coronavírus, o estado do Amazonas segue recebendo apoios para lidar com a crise. Um carregamento com 107 mil metros cúbicos de oxigênio vindo da Venezuela já cruzou a fronteira terrestre em carretas e deverá chegar a Manaus nesta segunda-feira (18/1). Outra boa notícia é que o estado poderá vacinar os trabalhadores da linha de frente do combate à Covid-19.

O governador amazonense, Wilson Lima (PSC), está indo a São Paulo para uma espécie de recebimento simbólico de 50 mil doses da Coronavac que o governo paulista ofereceu para o início imediato da vacinação no estado. É o mesmo dia em que as seis milhões de doses que o Instituto Butantan importou da China serão entregues ao Ministério da Saúde, mas o governador João Doria (PSDB) prometeu prioridade ao Amazonas, que vive a situação mais crítica no momento.

Houve certo ruído sobre essa notícia, porque a rede de TV CNN Brasil chegou a noticiar que o governador amazonense havia negado a oferta de Doria e dito que esperaria os repasses de vacinas do Ministério da Saúde, mas o governo do estado desmentiu a informação.

Veja postagem de Wilson Lima neste domingo:

Oxigênio

As carretas com o oxigênio da Venezuela, cada uma transportando cerca de 25 mil metros cúbicos, atravessaram a fronteira com o Brasil na tarde deste domingo.

O governador Wilson Lima comemorou. “Esta é uma das cargas significativas de oxigênio chegando aqui no estado do Amazonas. Deve chegar até terça-feira, vinda do Distrito de Bolívar, na Venezuela, e é uma doação que está sendo feita pelo governador daquele estado, que também está vindo ao Amazonas para fazer essa entrega aqui. Isso vai contribuir significativamente para que haja uma estabilidade na nossa rede hospitalar, tanto na capital quanto no interior”, afirmou.

Últimas notícias