Butantan pedirá uso emergencial para mais 4 milhões de doses da Coronavac

Lote foi produzido pelo instituto no Brasil. Dimas Covas diz que aguarda a importação de insumo para envase de mais 11 milhões de doses

atualizado 17/01/2021 19:40

O diretor do Instituto Butantan Dimas Covas, em coletiva de imprensa no palácio dos BandeirantesFábio Vieira/Metrópoles

São Paulo – O Instituto Butantan pedirá nesta segunda-feira (18/1) à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) mais uma autorização para uso emergencial de mais 4 milhões de doses produzidas no país da Coronavac. Neste domingo, a vacina contra Covid-19 do laboratório chinês Sinovac recebeu o aval da agência para aplicação das doses importadas.

“Amanhã, segunda-feira, nós entramos na Anvisa com o pedido de autorização para uso emergencial das vacinas produzidas aqui no Butantan, das quais já temos 4 milhões de doses prontas e necessitamos agora a urgência de nova autorização. Como a documentação é praticamente a mesma, não existe muita diferença, [espero que] isso seja aprovado muito rapidamente”, disse o diretor do Butantan, Dimas Covas.

O instituto também aguarda para esta semana autorização do governo chinês para a importação da matéria-prima que será usada no envase de mais 11 milhões de doses do imunizante. “Estamos com um pedido aprovado de importação lá na China, e aguardamos uma autorização do governo chinês. Isso já deveria ter acontecido 15 dias atrás, [mas ainda] não aconteceu. Estamos em intenso contato com os chineses para que liberem [esse material], que será suficiente para a produção de mais de 11 milhões de doses.”

0

Últimas notícias