Advogada de homem que teve raça citada em sentença pede emprego para ele

Thayse Pozzobon, que denunciou a sentença racista contra Natan Vieira da Paz, fez apelo em postagem no Instagram

atualizado 14/08/2020 22:58

Aproveitando a repercussão que o caso teve, a advogada paranaense Thayse Pozzobon usou sua conta no Instagram nesta sexta-feira (14/8) para pedir ajuda na busca de um emprego para seu cliente, Natan Vieira da Paz, de 48 anos. Ele é o homem negro que teve sua raça citada na sentença pela juíza Inês Marchalek Zarpelon, da 1ª Vara Criminal da Comarca da Região Metropolitana de Curitiba (PR).

A magistrada, que escreveu na peça que o homem “seguramente integrante do grupo criminoso, em razão da sua raça”, terá suas sentenças revisadas por uma força tarefa da Defensoria Pública do Paraná.

Veja a postagem da advogada:

 

Ver essa foto no Instagram

 

Ajude compartilhando! E-mail: [email protected]

Uma publicação compartilhada por Thayse C. Pozzobon (@thaysepozzobon) em

A juíza Inês Marchalek Zarpelon foi acusada de racismo pela defesa de Natan, que foi condenado por furtos.

“Sobre sua conduta social nada se sabe. Seguramente integrante do grupo criminoso, em razão da sua raça, agia de forma extremamente discreta os delitos e o seu comportamento, juntamente com os demais, causavam o desassossego e a desesperança da população, pelo que deve ser valorada negativamente”, disse a magistrada na sentença.

O caso veio à tona após a advogada de Thayse Pozzobon denunciar a juíza nas redes sociais. “Associar a questão racial à participação em organização criminosa revela não apenas o olhar parcial de quem, pela escolha da carreira, tem por dever a imparcialidade, mas também o racismo ainda latente na sociedade brasileira”, denunciou.

Últimas notícias