Adiamento: senadores anunciam acordo para eleições em 15 e 29 de novembro

Juízes e líderes partidários e do Congresso se reuniram nesta terça e concordaram em adiar o pleito municipal por causa do coronavírus

atualizado 16/06/2020 18:14

Ainda não há anúncio oficial, mas uma reunião no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) com o presidente Luis Roberto Barroso, e o vice, Edson Fachin, e a maioria dos líderes partidários, além dos presidentes das Casas do Congresso, Rodrigo Maia (Câmara) e Davi Alcolumbre (Senado), ficou decidido que o pleito municipal de 2020 não será disputado em outubro, como previsto, mas em novembro, com o primeiro turno no dia 15 e o segundo, onde houver, no dia 29.

O anúncio está sendo feito por políticos como o senador Lasier Martins (Podemos-RS). Veja:

O senador Carlos Viana (PSD-MG) também tuitou anunciando o acordo. Veja:

No debate, a necessidade de adiamento do pleito por causa do coronavírus foi consenso entre os participantes, mas as datas exatas ainda serão definidas na janela entre 15 de novembro e 20 de dezembro.

Para fechar a questão, uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC) terá de tramitar no Congresso, decidindo as datas exatas. Como há acordo ao menos pelo adiamento, a tendência é de uma tramitação rápida.

Médicos e cientistas como David Uip; Clovis Arns da Cunha; Esper Kallás; Ana Ribeiro; Roberto Kraenkel; Paulo Lotufo; Gonzalo Vecina; e Atila Iamarino participaram da reunião, que foi por teleconferência.

Últimas notícias