Abstenção no segundo dia de provas do Enem sobe para 55,3%

Números foram apresentados pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) após a realização das provas

atualizado 25/01/2021 7:38

JP Rodrigues/ Especial para o Metrópoles

Um número ainda maior de estudantes inscritos no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) optou por não fazer a prova neste domingo (24/1). De acordo com o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep),  a abstenção foi de 55,3% – no primeiro dia de aplicação, os ausentes representaram 51,5%. No Distrito Federal, este índice ficou em 53,7%.

Em números absolutos, 2.470.396 pessoas compareceram às provas e 3.052.633 faltaram. Ao todo, eram esperados 5,5 milhões de candidatos. O número exclui os candidatos do Amazonas e de duas cidades de Rondônia, onde os testes não foram aplicados em decorrência de decisões judiciais e municipais por causa da pandemia do novo coronavírus.

De acordo com o presidente do Inep, Alexandre Lopes, neste domingo, 1.274 participantes foram eliminados por descumprirem as determinações do edital. Foram registradas 14 ocorrências médicas.

Ao comentar a abstenção recorde, Lopes pontuou as gratuidades. De acordo com ele, nesta edição, cerca de 70% dos estudantes não precisaram pagar para se inscrever no Enem, enquanto em anos anteriores, o percentual de inscritos isentos era de 50%.

Sobre os prejuízos decorrentes dos gastos com os inscritos que não compareceram, Lopes afirmou: “A gente não tem como imprimir menos provas do que inscrições, por exemplo. As provas são nominais e não tem como saber quem vai ou não”. Ele ainda ponderou que a decisão de não participar da prova é “individual”.

Apesar do número de alunos que optaram por não fazer a prova ser maior do que o de inscritos que participaram do exame, o presidente do Inep avaliou como positiva a realização do Enem 2020.

Reaplicação

O prazo para os inscritos solicitarem o acesso à reaplicação das provas começa às 12h da próxima segunda-feira (25). De acordo com o Inep, qualquer estudante que tenha sido impedido de fazer as provas pode pedir para participar do Enem 2020 em fevereiro.

O presidente do Inep reafirmou que os inscritos barrados por não haver espaço suficiente nas salas de aula em decorrência da adoção de medidas sanitárias para evitar a disseminação do novo coronavírus não precisaram apresentar nenhum documento da situação.

Conforme ele havia afirmado ao Metrópoles, os inscritos terão apenas que relatar o ocorrido e o Inep irá conferir se as informações batem com as registradas nas atas das salas onde as provas foram aplicadas.

Lopes atualizou o número de locais onde o problema teria ocorrido. Segundo ele, alunos foram barrados em 37 escolas de 11 cidades. As informações ainda estão sendo recolhidas, de acordo o presidente do Inep.

Ao todo, 18.210 inscritos pediram a reaplicação por conta de doenças infectocontagiosas, como a Covid-19. Na coletiva de imprensa, o Inep informou que 13.716 pedidos já foram deferidos.

Últimas notícias