É preciso agarrar as oportunidades que a vida traz

Quando algo surgir em nossa consciência, esse é o momento de fazer. Não deixe para depois

atualizado 18/07/2019 18:27

O tempo é a nossa maior riqueza. Cada minuto que passa é um a menos na história de nossas vidas. Sabemos disso, mas mesmo assim não damos tanta importância a ele, não é mesmo? Apenas quando o perdemos e não podemos voltar atrás. Com o tempo, perdemos também as oportunidades que a vida nos traz e que também não voltam.

Assisti a uma aula da professora Lúcia Helena Galvão em que ela fala justamente sobre a importância de se gerenciar nosso precioso tempo, definindo as prioridades, traçando as metas e objetivos e principalmente sabendo agarrar as oportunidades que a vida nos traz, pois elas não estacionam em nossa porta.

Você já ouviu falar do deus Kairós, da mitologia greco-romana? Ele era o deus da oportunidade. Filho de Zeus – o deus dos deuses – e de Tykhé, divindade da fortuna e prosperidade. Kairós era jovem e calvo, porém tinha uma única mecha de cabelo na frente do rosto. Jovem e ágil, só podia ser alcançado pela mecha, quando vinha de frente. Depois e que ele passava, era impossível alcançá-lo novamente. E assim são as oportunidades que surgem em nossa vida.

Para isso, segundo a professora, é necessário que estejamos sempre atentos, lúcidos e serenos no momento presente, para não deixar as oportunidades escaparem. Nós viemos para expandir os caminhos da vida e, por isso, nós, seres humanos, somos criativos por natureza. Quando algo surgir em nossa consciência, esse é o momento de fazer. Não deixe para depois.

Em abundância
O primeiro passo para aproveitar as oportunidades da vida é ter clareza sobre o que você quer e saber onde quer chegar e o que quer alcançar. Oportunidades são abundantes e estão aí para quem quer e for esperto para enxergá-las.

Por isso, estar mentalmente preparado para elas pode ajudar e muito. Prepare-se, estude, mantenha-se lúcido, aumente suas habilidades e isso te ajudará a ter segurança para agarrar as oportunidades.

Além disso, é sempre bom manter uma boa rede ou networking e, por fim, acostume-se a pensar fora da caixinha, desafie-se fazendo perguntas, mudando a forma de pensar e enxergar as coisas.

Nunca saberemos onde cada uma das nossas escolhas nos levará, mas é provável que, olhando para trás, se houver arrependimentos e desapontamentos, a maioria deles será por causa de oportunidades perdidas e tempo desperdiçado. À luta.

Últimas notícias