DF: homem esfaqueia esposa e amiga na JBS; depois, tenta se matar

Crime ocorreu dentro da empresa onde os três trabalhavam. As duas mulheres alvo do agressor foram levadas ao hospital

Hugo Barreto/MetrópolesHugo Barreto/Metrópoles

atualizado 21/08/2019 7:06

Um homem de 39 anos, identificado como Josué Ferreira Rodrigues, esfaqueou duas mulheres (a esposa dele e uma amiga dela) e, em seguida, tentou suicídio no frigorífico da JBS, na rodovia BR-060, em Samambaia, na manhã desta terça-feira (20/08/2019).

Todos são funcionários da empresa onde ocorreu o crime. A Polícia Rodoviária Federal (PRF) informou que, quando chegou ao local, o agressor tentou se matar perfurando a própria barriga, ficando com o intestino exposto.

Segundo o Corpo de Bombeiros do DF (CBMDF), a mulher dele, Jéssica Carvalho dos Santos, 28, sofreu quatro perfurações no tórax e está em estado grave. Ela foi encaminhada ao Hospital de Base do DF (HBDF) de helicóptero.

A amiga, Maria José dos Santos Ferreira, 40, foi esfaqueada no abdômen e no tórax. A vítima encontra-se no Hospital Santa Marta. O estado dela não é crítico. A PRF informou que Josué foi levado para o Hospital Regional de Ceilândia (HRC), onde passa por cirurgia.

O crime teria sido motivado por ciúmes, porque a esposa estava combinando com a amiga de sair. O casal tem dois filhos. Uma prima de Josué que não quis se identificar disse à reportagem que eles estavam em processo de separação há pouco mais de uma semana: “Estamos sem entender nada. Ele é um homem tranquilo. Sempre viveram muito bem. Provavelmente, ele não estava aceitando a separação. Ninguém está acreditando no que aconteceu.”

Ao Metrópoles, a JBS confirmou o envolvimento dos três colaboradores do incubatório de Samambaia no crime. “A companhia informa que acionou os órgãos responsáveis e segue acompanhando as investigações”, informou em nota.

Assista ao vídeo do socorro:

 

Neste 2019, o Metrópoles iniciou um projeto editorial para dar visibilidade às tragédias provocadas pela violência de gênero. As histórias de todas as vítimas de feminicídio do Distrito Federal serão contadas em perfis escritos por profissionais do sexo feminino (jornalistas, fotógrafas, artistas gráficas e cinegrafistas), com o propósito de aproximar as pessoas da trajetória de vida dessas mulheres.

O Elas por Elas propõe manter em pauta, durante todo o ano, o tema da violência contra a mulher para alertar a população e as autoridades sobre as graves consequências da cultura do machismo que persiste no país.

Desde 1° de janeiro, um contador está em destaque na capa do portal para monitorar e ressaltar os casos de Maria da Penha registrados no DF. Mas nossa maior energia será despendida para humanizar as estatísticas frias, que dão uma dimensão da gravidade do problema, porém não alcançam o poder da empatia, o único capaz de interromper a indiferença diante dos pedidos de socorro de tantas brasileiras.

Últimas notícias