DF: agressor denunciado pela mãe desfigurou rosto de namorada

Delegado da 20ª DP diz que a vítima está internada no Hospital de Santa Maria e mal consegue falar: "Muito machucada"

iStock/Imagem ilustrativaiStock/Imagem ilustrativa

atualizado 20/01/2020 19:04

O delegado cartorário da 20ª DP (Gama), Renato Martins, diz que o rosto da vítima de tentativa de feminicídio, de 38 anos, ocorrida na zona rural de Santa Maria, está desfigurado. O suspeito das agressões é o namorado da mulher, preso após ser denunciado pela própria mãe.

O investigador esteve, nesta segunda-feira (20/01/2020), no Hospital Regional de Santa Maria (HRSM), onde Jéssica de Almeida está internada e se recupera dos ferimentos. “Ela está muito machucada, com o rosto todo inchado e não consegue falar direito. Fizemos algumas perguntas, ela confirmou a autoria do fato, mas vamos esperar que esteja em melhores condições de saúde para agendar um novo depoimento”, disse Martins.

Preso, o agressor, de 34 anos, cujo nome não foi divulgado por conta da Lei de Abuso de Autoridade, se manteve calado diante da polícia. Com dificuldade, a vítima disse à polícia que o namorado agiu por ciúme.

Segundo a mãe dela, o suspeito é um homem bastante violento e  havia agredido a filha em outras ocasiões. Não há, porém, nenhuma ocorrência de violência doméstica registrada por ela contra o suspeito.

Nesta manhã, após chegar em casa, na CL 218 de Santa Maria, com a roupa ensanguentada e dizer para a mãe que havia matado a mulher, o agressor trocou de roupa e fugiu. E foi preso pela PM.

A vítima passou um tempo desacordada, mas conseguiu caminhar e pedir ajuda aos vizinhos. Foram eles que acionaram o Corpo de Bombeiros para os primeiros socorros.

 

Em 2019, o Metrópoles iniciou um projeto editorial para dar visibilidade às tragédias provocadas pela violência de gênero. As histórias de todas as vítimas de feminicídio do Distrito Federal são contadas em perfis escritos por profissionais do sexo feminino (jornalistas, fotógrafas, artistas gráficas e cinegrafistas), com o propósito de aproximar as pessoas da trajetória de vida dessas mulheres.

O Elas por Elas propõe manter em pauta, durante todo o ano, o tema da violência contra a mulher para alertar a população e as autoridades sobre as graves consequências da cultura do machismo que persiste no país. Desde 1° de janeiro, um contador está em destaque na capa do portal para monitorar e ressaltar os casos de Maria da Penha registrados no DF. Mas nossa maior energia será despendida para humanizar as estatísticas frias, que dão uma dimensão da gravidade do problema, porém não alcançam o poder da empatia, o único capaz de interromper a indiferença diante dos pedidos de socorro de tantas brasileiras.