Chapada dos Veadeiros: conheça pequenos paraísos escondidos no Cerrado

Na última matéria da série Chapadas Brasileiras, descubra o clima místico da região com uma das melhores estruturas para receber visitantes

atualizado 21/05/2021 12:03

vale da lua na chapadaGetty Images

Em torno do tapete verde cortado por rios e cachoeiras, as belezas da Chapada dos Veadeiros são um convite irrecusável a respirar a natureza. É quase impossível visitar o local e não se contagiar com a imensidão de formações rochosas únicas, onde a força das quedas d’água presenteia os viajantes com revigorantes banhos de energia.

Além dos encantos da natureza, o lugar é envolto de misticismo. A presença de minas de cristais nas redondezas garante uma vibração geológica especial, de acordo com os moradores da região. A localização na mesma latitude de Machu Picchu (entre os paralelos 13 e 14) também ajuda a convencer que o destino tem uma energia de outro mundo.

Pela avenida principal de Alto Paraíso, uma variedade de lojas de artigos esotéricos esbanjam nas vitrines cristais que refletem a luz do sol com novas nuances de cores e criam uma sinfonia única. O lugar também guarda curiosas construções, centros de meditação e uma lista extensa de histórias sobre óvnis e ETs – basta conversar com qualquer morador para conhecê-las.

Na série Chapadas Brasileiras, o Metrópoles te apresenta os encantos dos mosaicos que emolduram paisagens rochosas em território verde-amarelo. Cada uma com suas particularidades, mas extremamente ricas em belezas naturais, as chapadas são imperdíveis para os amantes de ecoturismo e proporcionam uma experiência de conexão com a natureza singular.

O Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, declarado Patrimônio Natural da Humanidade pela UNESCO em 2001, também envolve muita história e cultura. É lá que fica a comunidade Kalunga, a maior comunidade de remanescentes de quilombolas de todo o país.

Os descendentes de antigos escravos que escaparam dos cativeiros e fundaram o povo Kalunga, se espalham por mais de 40 locais na área de Cerrado preservado próxima ao município de Cavalcante. É lá que ficam algumas das mais belas cachoeiras da região, contribuindo para a subsistência das comunidades a partir do turismo.

Cachoeira Santa Bárbara, Chapada dos Veadeiros
A Cachoeira Santa Bárbara, conhecida pelas águas azuis, fica em Cavalcante

 

Como chegar?

A Chapada dos Veadeiros fica no estado de Goiás, a 430km de Goiânia e 230km de Brasília. A melhor maneira de chegar até o lugar é descer no aeroporto de uma das capitais e cair na estrada de carro rumo a alguma das quatro cidades que compõem o destino – Alto Paraíso, Cavalcante, São João d’Aliança e São Jorge.

É nesta última que fica a entrada para o Parque Nacional. Contudo, são tantas opções que é impossível visitá-la uma vez só. Se tem algo que você leva da Chapada, certamente é a vontade de voltar para lá.

Melhor época para visitar

Assim como outros destinos de turismo de aventura ou natureza, a principal recomendação é priorizar a época da seca. Na Chapada dos Veadeiros, em especial, a orientação também é sinônimo de segurança. Durante a época das chuvas, existe o risco de ocorrência de trombas d’água, fenômeno decorrente do acúmulo de água na cabeceira do rio, provocando uma enchente repentina arrastando o que estiver em seu curso.

Por conta disso, na hora de se programar para a viagem, escolha os meses entre junho e setembro. Nessa época, os dias de Sol são mais longos e as cachoeiras não estão tão cheias – porém mantém sua beleza estonteante – e, ao cair da noite, faz um pouco mais de frio. Lembre-se de colocar um casaco na mala.

Chapada dos Veadeiros (GO)
Vista dos saltos do Rio Preto, no Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros
Parada obrigatória

O goiano Douglas Oliveira nasceu em outra parte do estado, passou boa parte da vida na capital Goiânia até se encantar pelas belezas da Chapada. Ele decidiu então se mudar para a região, há quatro anos, para conscientizar os visitantes sobre a importância do Cerrado por meio do ecoturismo.

O que torna o destino tão especial? Segundo ele, seriam necessárias horas a fio para destacar todos os encantos.

“Temos uma variedade muito plural de cores de água, um bioma que oferece belezas como em nenhum outro lugar, a variedade de minas e cristais da Chapada, a riqueza cultural do território quilombola, e as histórias de óvnis e alienígenas que passam por aqui. Ufa. Está bom né?”, diverte-se Doug, como gosta de ser chamado.

Ele ressalta a importância de contratar algum condutor, mesmo que o trajeto pareça simples. “O guia tem um leque de possibilidades e sabe orientar o melhor caminho desde um bebê ou idoso até o maior dos aventureiros. Mais que mostrar o trajeto, ele também ajuda na logística e torna a experiência memorável”, ressalta.

Entre os incontáveis atrativos da região, algumas cachoeiras já viraram figurinha carimbada e são imperdíveis na hora de montar o roteiro. O cardápio variado de percursos ecológicos e quedas d’água oferece lugares perfeitos para todos os gostos – desde os amantes de trilhas radicais até os fãs de caminhos de madeira que facilitam o trajeto.

cachoeira
Almécegas

Partindo da capital federal, a primeira parada é Alto Paraíso e a famosa dobradinha Almécegas I e II. Dentro da Fazenda São Bento, onde também fica a cachoeira de mesmo nome – e vale a visita.

Também próximo à região, estão as Cachoeiras dos Cristais e o circuito de cachoeiras Loquinhas, ideais para toda a família e para quem não abre mão de infraestrutura. A primeira tem quedas d’água e poços que mais parecem piscinas, emolduradas pela vegetação fechada. O complexo Loquinhas é trilhado por um caminho de madeira que guia os visitantes em um percurso pelos seus 18 poços de água em tons azul turquesa e verde-esmeralda.

Loquinhas

Mais adiante, rumo à São Jorge, está uma das formações rochosas mais singulares, e possivelmente mais famosas, de Veadeiros. O Vale da Lua é uma paisagem exuberante criada entre as pedras lapidadas pela água do Rio São Miguel, que descem desenhando as formas inusitadas que se assemelham à superfície lunar.

vale da lua na chapada
Cânion do Vale da Lua é um dos lugares mais frequentados da Chapada

Com trilhas cheias de pequenas surpresas, as Cachoeiras do Segredo e do Cordovil, e o arco-íris que frequentemente dá as caras para encantar os visitantes compõem mais dois pontinhos no checklist de rotas pela Chapada.

Cachoeira do Cordovil

Se você já viu algumas fotos da Chapada dos Veadeiros, certamente já encontrou cliques do mirante da janela. As pedras, no alto da montanha, formam uma bela janela natural com vista para o salto de 120 metros do parque nacional. O visual é arrebatador e ganha mais um encanto com uma visita à cachoeira do Abismo, apenas visível no período das chuvas.

É em São Jorge que fica a entrada principal para o Parque Nacional. Mas fique atento: o parque tem capacidade máxima, então programe-se para chegar mais cedo caso não queira perder a programação. Lá dentro, o visitante pode escolher entre quatro trajetos.

A mais longa e difícil é a Trilha das Sete Quedas, com aproximadamente 23,5 km de extensão, que passa pelos poços de banho do Rio Preto, Trilha das Fiandeiras – lugar histórico da época do garimpo na região -, e as quedas d’água que dão nome à travessia.

PARQUE NACIONAL CHAPADA DOS VEADEIROS
Vista dos Saltos do rio Preto, dentro do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros

Além dela, a Trilha dos Saltos inclui um mirante que permite visão privilegiada para o Salto de 120 e para o Salto de 80, parada especial para um mergulho; a Trilha dos Cânions, entre terrenos pedregosos e a Cachoeira das Cariocas; e a Trilha da Siriema, com trajeto mais tranquilo em um terreno plano e bem sinalizado até córrego Rodoviarinha.

Mais adiante, em Cavalcante, a cachoeira de águas em tom de azul claro Santa Bárbara rouba a cena. A queda d’água tem apenas 30 metros, mas o poço de águas transparentes é um espetáculo à parte, que certamente vai deixar o destino na memória. O lugar fica dentro da comunidade Kalunga, e é necessário contratar um guia da região para acompanhar o passeio, além de uma restrição de horário de visitação.

Cachoeira Santa Bárbara
Cachoeira Santa Bárbara : uma das mais visitadas em Goiás antes da pandemia

Por conta da Covid-19, a visitação está interrompida para evitar a disseminação do vírus entre os povos Kalunga.

Arte Chapada dos Veadeiros

Dicas de hospedagem

Antes de escolher onde se hospedar, uma boa alternativa – e que sempre vale quando o destino é qualquer chapada brasileira -, é escolher os atrativos que você mais quer visitar e programar onde irá dormir de acordo com a rota.

Em Veadeiros, há uma extensa lista de hospedagens aconchegantes para todos os gostos do visitante – desde hotéis, pousadas mais luxuosas até hostels e campings. Há também uma grande variedade de casas de aluguel via plataforma Airbnb. Escolha a que mais combina com o seu estilo.

0

Últimas notícias