Quatro erros comuns na hora de decorar o quarto do bebê

O blog Mil Dicas de Mãe reuniu truques valiosos para não falhar na organização do cantinho do seu filho

atualizado 10/01/2020 16:16

Foto: Divulgação

Organizar o quarto do bebê é uma das etapas mais gostosas da espera do filho, mas também uma das mais desafiadoras. Afinal, são muitas as inspirações de decoração disponíveis no mercado, além das incontáveis referências na internet. Em meio a tantas opções, é comum embarcar em ideias não muito confiáveis e, no futuro, acabar se arrependendo das escolhas.

Pensando em ajudar os papais de primeira viagem a não caírem nessas armadilhas de décor, o blog Mil Dicas de Mãe, parceiro do Metrópoles, listou os quatro piores erros na hora de montar o cantinho.

Vale ressaltar que alguns dos deslizes devem ser evitados a todo custo, já que colocam em risco o bem-estar do recém-nascido.

Fazer tudo sozinho

Não hesite em pedir consultoria de decoração para arquitetos e atendentes de lojas especializadas. Mesmo que você não esteja pensando em fazer um projeto profissional, vale a pena conversar com pessoas da área para, ao menos, entender a disposição mais adequada dos móveis.

Cuidado também com prateleiras sobre o trocador, pois, em poucos meses, seu bebê poderá bater a cabeça ao ficar sentado; mesinhas de apoio sem estabilidade, que podem virar e cair quando seu filho começar a engatinhar; e objetos decorativos ao alcance da criança.

Acumular peças de roupa e brinquedo

Seu bebê provavelmente ganhará uma série de presentes antes de nascer, entre eles, vários brinquedos. É importante que você pense com antecedência em destinar um cantinho do quarto só para esses objetos, pois, se ficarem espalhados, podem atrapalhar (e muito!).

Lembre-se de que você circulará o dia todo pelo quarto com uma criança no colo e, por isso, o ambiente precisa ter uma boa área de circulação.

Armários e prateleiras suspensas podem ser boas saídas para guardar esses objetos ou, se você preferir um quarto montessoriano, opte por deixá-los em um baú.

Outro detalhe: se o brinquedo for de uma fase que demorará para chegar, não adianta deixá-lo à mão. Suba-o para a parte superior do armário até que seu filho tenha idade para brincar com ele. O mesmo vale para roupinhas maiores que abarrotam o guarda-roupa.

Para continuar a leitura clique aqui.

Últimas notícias