Sobrevivente desabafa: “Peguei Covid-19 sem nunca ter saído de casa”

Sabrina Lavor contou que seguia protocolos rígidos para se proteger do coronavírus e contraiu o vírus mesmo assim

atualizado 08/07/2020 13:04

Mulher pegou coronavírus em isolamento socialReprodução/Instagram

Assim que começou a pandemia, a professora Sabrina Tainá Lavor Monteiro, de 32 anos, moradora de Santarém, no Pará, foi passar a quarentena na casa de uma amiga. As duas não saíam do local para nada, só recebiam entregadores de máscara e luvas e higienizavam tudo que chegava de fora. Ainda assim, ambas foram infectadas pelo novo coronavírus.

Em relato publicado na revista Marie Claire, Sabrina contou que elas estavam sobrevivendo à quarentena assistindo a séries e lives, quando, no dia 22 de abril, Larissa apresentou os primeiros sintomas de Covid-19.

“Eu não me conformava. Como ela poderia ter sido infectada tomando tantos cuidados, seguindo todas as orientações? Vacilar era a única coisa que eu não podia. Além de usar máscara e luvas, ainda desinfetávamos todas as embalagens que recebíamos de supermercados e deliveries”, contou a paraense.

Como o vírus é altamente transmissível, Sabrina também manifestou os sintomas poucos dias depois. Mas, ao contrário de sua anfitriã, que melhorou em um intervalo razoável, ela passou 35 dias em estado grave. Uma tuberculose que teve meses antes agravou a situação.

0

“Ambas testamos positivo. Recebemos também a tomografia que mostrava um aspecto de vidro fosco, característico desse vírus, em pelo menos 15% do meu pulmão. Larissa estava um pouco melhor. Fiquei arrasada, rezando sem parar com medo de ter que voltar ao hospital”, desabafou a professora.

Depois de mais de um mês sentindo cansaço extremo, fortes dores no pulmão e entrar em desespero diversas vezes, Sabrina venceu a Covid-19 e garante que a situação lhe fortaleceu.  “Sabe aquele ditado que diz que ‘o que não te mata, te fortalece’. Faz todo sentido para mim agora. Sou portadora de fibromialgia, sobrevivente de um AVC, já passei por um zika vírus, tive recentemente uma tuberculose e agora também venci a Covid-19. Vi a morte de perto”, relatou com detalhes à Marie Claire.

Apesar de não ter certeza, ela acredita que a contaminação possa ter ocorrido durante a entrega de um lanche.

“Tínhamos pedido um bolo de chocolate e Larissa recebeu o entregador. Ela usava máscara e luvas, mas ele estava completamente desprotegido. Lembro bem disso porque comentamos o fato de ele estar exposto assim.Trabalhando na rua diariamente, sem qualquer amparo. Desinfetamos toda a embalagem com álcool gel, conforme manda o protocolo, mas acredito que alguma coisa escapou ao nosso controle”, finalizou.

 

Ver essa foto no Instagram

 

“We are the champions, my friends And we’ll keep on fighting till the end…” Cheguei ao 15° dia de Isolamento… Supostamente era pra eu estar curada, mas esse vírus é tão desgraçado que os sintomas voltaram! Um acidente doméstico com queimaduras de terceiro grau nas mãos; Duas Hérnias inguinais aos 4 anos; Diversas Hepatites, Um AVC, Uma úlcera de córnea, Zika Vírus, Tuberculose, Fibromialgia, Transtorno de Ansiedade/depressão De todas as lutas de saúde pelas quais Deus já me permitiu passar, sobrevivi a mais uma delas, a COVID19! Acho que de doença não morro mais! Ontem e hoje estive bem jururu, de cama, alguns sintomas que já haviam sumido, voltaram então os médicos estenderam o monitoramento e isolamento por mais 7 dias. A volta dos sintomas me deixou bem abatida, tanto física quanto emocionalmente. Mas eu sobrevivi, né gente? To aqui… to viva! E isso é tudo o que me importa agora. Eu tinha certeza que não sobreviveria ao coronavírus, tanto que em uma das vezes que passei mal e necessitei de atendimento médico, consagrei o momento da minha morte à Nossa Senhora de Nazaré, eu já tava me preparando para o pior. De todas as vezes que adoeci de coisas graves, essa pra mim foi a pior, a nível de sintomas, a nível de medo principalmente. Todo mundo sabe o que nos espera nas outras doenças acima, mas o corona é novo, desconhecido, incerto e resistente. Cara, uma coisa é muuuuito certa: O que não nos mata, nos fortalece! E eu vou sair MUITO MAIS FORTE DESSA! Tenham certeza disso! Tudo vai passar a ter um novo valor e um novo valor após tudo isso! E nada, mais nada me meterá tanto medo como antes. Eu ainda tenho muuuitas missões nesta terra, por isso Deus ainda me quer aqui, vou fazer jus ao que Ele me pedir! Ainda não tive alta, mas já posso gritar pra todo mundo ouvir: COVID19 EU SOBREVIVIIIIII!!!! Aquilo que parecia ser minha morte, mas Jesus mudou minha sorte, sou um milagre, estou aqui! \o/ #DiárioDaBina #MundoBina #MulherDeFibra #MulherDeFé #SouVitoriosa #COVID19 #CoronaVirus #EuSobreVivi #Isolamento #Pandemia #Fortaleza #Fé #Resiliência #Saúde #FiqueEmCasa

Uma publicação compartilhada por #DiárioDaBina #MundoBina (@sabrinalavorr) em

Últimas notícias