*

Em julho de 2016, estreava a séria “Stranger Things” na Netflix, que se tornou um dos maiores sucessos da cultura pop. Ambientado no ano de 1983, o programa narra a procura por um garotinho que some em circunstâncias estranhas.

Uma das personagens principais, Eleven, é interpretada pela atriz mirim Millie Bobby Brown, 13 anos. A carreira artística dela começou aos 9 anos de idade e, desde então, a jovem vem modelando e atuando.

Durante o lançamento da segunda temporada da série, o look de Millie chamou atenção do público e virou assunto polêmico: ela estaria sofrendo adultização e sexualização pela indústria do entretenimento.

Adultização é antecipar o fim da infância, tratando a criança como adulto e criando um “escape” para que ela não viva a totalidade do período correspondente à sua idade.

Getty Images

Millie na estreia de “Stranger Things”, em 2016, e no lançamento da segunda temporada, na quinta-feira passada (26/10)

A página Feminismo Sem Demagogia fez um post alertando sobre o problema, usou Millie como exemplo e pontuou os malefícios dessa ação. “Meninas não amadurecem mais rápido, meninas são erotizadas mais cedo, se tornam indivíduos sexualizados ao olho da sociedade e são culpabilizadas pelos abusos sofridos”.

Maquiagem, salto alto, roupas de adultos, fotos sensuais, tudo isso se encaixa nesse padrão. A indústria do entretenimento não deveria transformar crianças, especialmente meninas, em pequenos adultos.

“Millie é fruto de um fenômeno social, ela tem sua infância encurtada, seu corpo erotizado, condicionada a uma imagem e a um consumo desnecessário. Tudo isso é banalizado pela indústria e pela sociedade”, finaliza a página Feminismo Sem Demagogia.

Para o papel que a consagrou, Millie precisou raspar os fios e aparecer totalmente careca na primeira temporada. Na segunda-feira (30/10), em entrevista ao programa de TV britânico “This Morning”, ela contou que, na época, a mãe chegou a lhe sugerir usar perucas até os cabelos crescerem.

“Minha mãe não gostou do meu corte de cabelo, mas agora já está crescendo. Ela me viu e disse: ‘vamos colocar uma peruca?'”, contou aos apresentadores Phillip Schofield e Hlly Willoughby.

Independentemente de ter sido uma brincadeira, fica o questionamento: seria mesmo necessário uma jovem de 12 anos usar perucas?

Em setembro, quando esteve no Brasil, ao ser questionada sobre o desafio de raspar o cabelo para atuar na série, Brown contou que não se incomodou de cortá-lo. “Você não precisa ter cabelo para ser uma garota”, reiterou após narrar a experiência de meninas que lutam contra o câncer e passam por desafios maiores do que o simples corte de cabelo.

Confira algumas aparições da estrela de “Stranger Things” e veja como o estilo dela vem mudando:



COMENTE

 
criançaMillie Bobby Brownerotizaçãoadultização