Coquetel de vitaminas na veia vira moda entre famosos

A novidade promete boost imediato na imunidade, mas é alvo de críticas por médicos brasileiros

atualizado 14/05/2018 19:14

Que a correria da vida pode ser desgastante não é nenhuma novidade, ainda mais para celebridades e personalidades que precisam comparecer a diversos compromissos. Por conta da necessidade de parecer estar sempre bem, uma nova moda tem conquistado os famosos: a hidratação intravenosa.

Conhecido como IV Drop ou Injection Bar, o tratamento é uma forma de hidratação administrada na veia com um coquetel de vitaminas. A dose mistura fluidos essenciais, eletrólitos, vitaminas e antioxidante (glutationa).

O serviço caiu no gosto de nomes conhecidos, como Rihanna, Chrissy Teigen, Madonna, Adele, Jane Fonda, Cara Delevingne e Kendall Jenner, e promete hidratar; desintoxicar; atuar na clareza mental; dar um up em dias muito cansativos; tratar enxaquecas; auxiliar na perda de peso; embelezar cabelos e pele; dar boost na imunidade e até curar ressacas.

A moda começou nos Estados Unidos e já conquistou brasileiros, entre eles, o RP brasiliense Guilherme Siqueira e a fashionista Maria Helena Bordon. O método é usado, principalmente, antes de grandes eventos com muita visibilidade como o Oscar, o MET Gala e o Grammy.

 

Reprodução/Instagram
Chrissy Teigen é uma das adeptas do antioxidante Glutathione

 

Com pacotes que custam entre US$ 199 e US$ 399, a técnica com pegada wellness é polêmica. De acordo com a nutricionista funcional Mônica Morais, em alguns casos, a injeção de vitaminas pode ser eficiente, mas não da forma como as celebridades usam. “Em um quadro de carência extrema de nutrientes, é eficaz, mas é preciso ter cuidado para não cometer excessos que podem fazer mal para o organismo”. De um ponto de vista nutricional, Mônica acredita ser melhor trabalhar com bons alimentos para manter o corpo saudável, e não apelar para táticas tão invasivas.

Reprodução/Instagram
O brasiliense Guilherme Siqueira também utiliza o soro vitamínico

 

O endocrinologista Bruno Caldas, da Clínica Corpus, acredita que injetar complexos vitamínicos em indivíduos sem doenças não é uma medida válida do ponto de vista ético e científico. Ele também ressalta que, caso haja a necessidade de uso por motivos estéticos ou de saúde, é preciso procurar médicos com formação sólida para realizar o procedimento.

“Vivemos em um meio onde as tendências ditadas pelas celebridades muitas vezes ganham mais credibilidade que a ciência médica. O fato de muitos artistas seguirem dietas com intermináveis horas de jejum e uso de vitaminas injetáveis para um possível benefício é questionável e não deve ser encorajado.”

Ele explica que doses elevadas de vitamina D, por exemplo, coloca o usuário em risco de intoxicação, com mau funcionamento dos rins e distúrbios de cálcio. Segundo o endocrinologista, as vitaminas são, de fato, essenciais para o bom funcionamento do organismo, mas estão presentes em quantidades suficientes em uma alimentação balanceada e saudável.

Últimas notícias