*

As publicações homofóbicas e misóginas contra lésbicas, gays e mulheres desenterradas do passado de Bruno Gagliasso no Twitter renderam ao ator global muito prejuízo. Mesmo após se explicar, Bruno perdeu espaço em campanhas e propagandas.

Segundo o UOL, o ator estaria envolvido em uma publicidade da prefeitura do Rio de Janeiro contra a LGBTfobia, na qual ele surgia ao lado da frase “homofobia é uma violência de ódio”.

Bruno também já havia trabalhado para o banco Itaú, que informou através das redes sociais: “Ele não faz mais parte de nossas campanhas que estão no ar”.

O Itaú declarou, ainda, que “repudia toda e qualquer forma de discriminação e preconceito. Esperamos que o respeito à diversidade sempre prevaleça”. A empresa também retirou o patrocínio de Júlio Cocielo.

O youtuber é o motivo pelo qual Bruno foi desmascarado na internet. Após Cocielo destilar racismo, o pai de Titi criticou as atitudes dele. Contudo, os internautas se lembraram de quando era Bruno quem esbanjava preconceito no Twitter.

Confira na íntegra a nota de repúdio encaminhada pela assessoria do Itaú:

“O ator atuou em uma campanha no ano passado, que já não está mais no ar. Repudiamos toda e qualquer forma de discriminação e preconceito. Esperamos que o respeito à diversidade sempre prevaleça”.