*

A atriz Patricia Arquette fez um discurso de arrepiar no ano passado, ao receber o Oscar de melhor atriz coadjuvante pela sua participação em “Boyhood”. Pediu igualdade salarial para as mulheres “de uma vez por todas” e foi aplaudida de pé, com direito a soquinhos no ar Meryl Streep e Jennifer Lopez. Pouco mais de um ano depois, a atriz voltou, mas dessa vez para fazer uma denúncia: tudo o que sua luta lhe rendeu, nos últimos tempos, foram portas fechadas.

Em um evento para cineastas mulheres no Festival de Cinema de Tribeca, em Nova York, Arquette disse que, mesmo ostentando um Oscar na sua prateleira, as ofertas de emprego em Hollywood ficaram mais escassas no último ano e alguns papéis lhe foram negados sem a menor cerimônia. “Alguns foram burros o bastante para dizer alguma coisa que deixou claro (o motivo da negação)”, disse a atriz.

Para todas as mulheres que deram à luz, para todas as pagadoras de impostos e cidadãs desta nação… Nós lutamos por direitos iguais para todos, agora é nossa vez de ter paridade salarial de uma vez por todas nos Estados Unidos da América. "
Patricia Arquette discursando no Oscar 2015

Mesmo com as ofertas de trabalho minguando, no entanto, Arquette disse que não se arrepende da atitude do Oscar — e que vai continuar lutando pela causa. “Na minha idade, é um tempo na minha vida em que quero fazer coisas que façam do mundo um lugar melhor para todo mundo”, disse. “Eu posso vender minha casa, posso gastar menos, posso viver de maneira diferente. E isso é ok”.



COMENTE

 
oscarfeminismo

Leia mais: Celebridades