Ele disse sim! Mulheres contam como foi pedir o parceiro em casamento

Elas mostram por que você não precisa ser tradicional para ter um relacionamento feliz

atualizado 10/08/2018 19:00

iStock

O filme Casa comigo? traz a história de uma mulher que quer casar com o namorado, mas ele simplesmente não faz a pergunta tão esperada por ela. Para resolver a situação, a protagonista decide adotar uma tradição irlandesa, na qual todo dia 29 de fevereiro as mulheres podem pedir os parceiros em casamento e eles devem aceitar.

A ficção, lançada em 2010, não envelheceu tão bem. Com mais mulheres buscando igualdade nos relacionamentos românticos, algumas têm tomado as rédeas e proposto matrimônio aos namorados sem pedir desculpas, com zero constrangimento e muita segurança. 

A estudante Gabriela Matos, de 22 anos, já morava com o namorado de longa data e há dois anos sentiu que era hora de dar mais um passo na relação. Quando estava com o parceiro na cachoeira do Tororó ela decidiu fazer a pergunta. “Ele ficou surpreso com o pedido e o anel também. Mas ficou muito feliz”, afirma.

Os amigos reagiram de forma positiva e, para Gabriela, foi natural a decisão partir dela. “A gente sempre fez coisas diferentes dos outros casais“, comenta.

Somos jovens, então se eu quero uma vida ao lado dele até completarmos duas décadas juntos, melhor começar logo. Toda hora é hora e se você quer casar com aquela pessoa, peça sem medo.

Gabriela Matos
Publicidade do parceiro Metrópoles
0

Em 2011, Laryssa Rodrigues, 30 anos, tinha acabado de sair de um relacionamento e rapidamente conheceu outra pessoa. Dessa vez, seu futuro marido. A dona de casa nunca quis casar, mas o pensamento mudou quando se apaixonou. “O destino logo me fez mudar de ideia. Em março de 2012 pedi ele em casamento na minha casa de forma espontânea e ele aceitou”, lembra.

A família adorou a iniciativa de Laryssa e ela casou um mês depois. “Ele estranhou no primeiro momento”, afirma. “Acho necessário quebrar esse protocolo que o homem comanda a relação. A mulher também pode manifestar seus desejos e intenções. Se estamos felizes devemos pedir quem amamos em casamento independente do julgamento dos outros”. 

Maior participação dos noivos
A igualdade está acontecendo também na preparação da cerimônia. “Temos visto uma mudança, graças à diminuição da cultura machista. Grande parte dos casais que atendo participam das reuniões e decidem juntos”, diz o cerimonialista Pedro Marra.

Além de ir às reuniões, os noivos têm assumido tarefas do evento e feito muito mais do que só “ajudar” as futuras esposas. Pedro afirma ter visto poucos casos em que as mulheres propuseram o casamento, mas isso tende a aumentar.

“Há um mix de tudo hoje em dia. Uma cerimônia menos tradicional (com ou sem efeito civil) pode incluir votos espontâneos do casal, entrada dos pets como damas e pajens ou com as alianças, decoração e comidas menos tradicionais. Tudo fica a critério do casal o que dá mais autenticidade ao evento”, garante o especialista.

Mais lidas
Últimas notícias