Veja o check-list ideal de beleza para o outono e inverno

Quais cuidados com a pele e os cabelos são essenciais nos períodos mais frios do ano?

Getty ImageGetty Image

atualizado 14/05/2019 15:40

As temperaturas aos poucos vão caindo e o tempo seco vai dando as caras. Essa mudança climática influencia diretamente no modo com o qual a pele deve ser tratada.

No período, a camada mais superficial da derme produz menos oleosidade natural e com isso, o ressecamento e a sensação de incômodo aparecem com mais frequência, especialmente na face, que é a mais exposta.

“Não ter uma rotina de cuidados de maneira propícia no inverno reflete diretamente na qualidade da pele, que pode ficar mais avermelhada e irritada, sendo necessários cuidados especiais”, explica a Mika Yamaguchi, farmacêutica e diretora científica da Biotec Dermocosméticos.

Para evitar problemas, veja sete cuidados indicados nessa época:

Não esqueça o protetor solar
O fotoprotetor é de uso diário e eterno: “A radiação ultravioleta, também no outono e inverno, provoca danos que comprometem a estrutura de sustentação da pele, causando o aparecimento precoce de rugas e flacidez, além das manchas como reação à fotoexposição. A orientação continua a ser a de reaplicar o protetor de quatro em quatro horas em ambientes fechados e de duas em duas horas em fotoexposição direta. O filtro deve ter dióxido de titânio ou óxido de zinco na formulação: esses são bloqueadores físicos importantes”, explica o dermatologista Dr. Jardis Volpe, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia. Ele orienta ainda potencializar a fotoproteção com um creme rico em antioxidantes OTZ 10, Alistin, Vitamina C e Exo-P. “Esses antioxidantes devem ser aplicados antes”, afirma.

Invista em um bom creme
Aqui, vale um grande alerta: “Existem hidratantes que desidratam!”, comenta Mika Yamaguchi. “Isso acontece em produtos que usam, na base, etoxilado, substância que ajuda a emulsionar. Se eu tenho um emulsionante que tem essa capacidade de emulsionar água e lipídeo (os dois constituintes do nosso manto hidrolipídico) em um creme, ao entrar em contato com a pele, se ele for muito forte, vai emulsionar o meu manto hidrolipídico e, ao invés de hidratar, ele vai romper a função de barreira natural e vai começar a desidratar.” O ideal, para isso não acontecer, é buscar produtos que formam uma segunda pele e protegem a derme de forma mais efetiva diminuindo a perda de água por evaporação.


Aposte nos reparadores e atinja camadas mais profundas
Usar produtos com fórmulas à base de ácido hialurônico é uma ótima pedida. “Eles são indicados para estimular a produção de hidratação natural em todas as camadas da pele”, comenta o dermatologista. Dois ativos, nesse sentido, se dão muito bem juntos: Hyaxel e DSH CN. “O primeiro é um ácido hialurônico de baixo peso molecular, que tem a capacidade de aumentar a expressão de proteínas como aquaporinas, filagrinas, loicrinas e outras importantes para aumentar a auto hidratação; já DSH CN, ácido hialurônico de alto peso molecular, forma um filme de retenção hídrica e devolve elasticidade ao tecido cutâneo”, explica Mika.

Com relação aos cremes reparadores, o médico diz que o ideal é aplicar à noite para evitar os danos causados pela poluição. “São substâncias antioxidantes com capacidade de reparo celular e que atuam contra os radicais livres”, diz Jardis. Produtos que entram na categoria de séruns noturnos: o So Pure Moisturizing Overnight Repair da Keune; creme facial noturno antimanchas Vinoperfect, da Caudalíe; e o Derma Complex Sérum Hidratante, da Adcos.

Lembre dos pés, mãos e corpo — Hidratar essas regiões é fundamental. “No caso dos pés, passar o um bom hidratante e colocar uma meia de algodão ajuda a pele a absorver o produto mais facilmente. Nas mãos, invista nos ácidos hialurônicos. No corpo, a reposição lipídica deve ser eficiente, com opções que levam manteiga de karité na fórmula restabelecendo a hidratação da pele”, indica o médico.

Beba água e tome vitaminas
A hidratação da pele deve ser dinâmica, por isso beber bastante água é importante independente da estação. “Beber água na medida certa nas estações mais frias ajuda a manter a pele hidratada”, aponta Mika. Além disso, alguns nutracêuticos também são recomendados para uma hidratação dinâmica (de dentro para fora)”, afirma a farmacêutica.

Tenha cuidado com retinóides
Para tratamento de manchas e rejuvenescimento facial, os retinóides são excelentes opções — e geralmente são prescritos no outono e no inverno. “Mas eles devem ser usados com parcimônia e orientados por dermatologistas. Seu uso contínuo pode causar hipersensibilidade cutânea, vermelhidão e irritabilidade”, alerta o médico.

Evite banhos muito quentes
Por fim, ficar mais de 15 minutos em uma ducha quente é mais que o suficiente para comprometer a camada hidrolipídica da pele, que segura a hidratação, segundo o dermatologista. “Dessa forma, a pele perde água e lipídeos, o que dificulta sua função de barreira. O ideal é banho morno e logo após a ação, hidratar a pele”, finaliza o especialista.

Últimas notícias