*

Esqueça plástica de nariz (rinoplastia), lipoaspiração e implante de prótese mamária. A nova queridinha dos consultórios de cirurgia plástica é a onfaloplastia, procedimento no umbigo.

As mulheres são a grande maioria das interessadas. Elas buscam a opção para tornar o umbigo mais “esteticamente aceitável”.

“Os umbigos bonitos, normalmente, são bem fechados, orientados verticalmente e sem gordura ao redor. Esse costuma ser o pedido das mulheres. Podemos dizer que cresceu 50% a procura pelo procedimento, e foi logo antes do verão”, explica o cirurgião plástico Victor Lima.

De acordo com os jornais The Guardian e Daily Mail, as referências mais pedidas lá fora são as atrizes Emily Ratajkowski e Jessica Simpson. O cirurgião plástico Carlos Manfrim esclarece que, no Brasil, as pessoas não têm essa ligação com famosos.

“As referências são mais usadas em cirurgias de nariz. Não temos o costume de cultuar celebridades. O mais comum nesse tipo de operação é ouvir as preferências – umbigos verticalizados – e as recusas – como a versão horizontalizada”, opina o especialista.

Técnicas existentes e tratamentos
Estão disponíveis alguns procedimentos para melhorar o umbigo: os mais invasivos e os menos. O uso de cada um depende da aparência e do problema do paciente – apenas um profissional poderá dar o melhor diagnóstico.

“O ideal é entregar o resultado mais natural e imperceptível possível. Ninguém quer uma cicatriz que denuncie a realização de uma cirurgia plástica, então a tendência é elas ficarem dentro do umbigo”, diz Victor Lima.

A maior reclamação notada por Manfrim entre suas pacientes é o excesso de pele acima da concavidade, problema conhecido como “umbigo triste”. Para os casos mais simples, ele indica aplicação de substâncias que promovem retração da derme e aumentam o colágeno da parte profunda (o procedimento Sculptra).

Também existe a Sutura Silhouette, técnica com fios absorvíveis compostos de ácido polilático para acabar com a flacidez, e o Ulthera, um ultrassom microfocado, responsável por emitir ondas que estimulam a produção de colágeno e contraem as fibras musculares.

Nos casos mais graves (gravidez, grande perda de peso, umbigo saltado), não tem jeito: só com cirurgia. A incisão no umbigo é chamada de onfaloplastia. “Tudo é feito por dentro, para melhorar o formato. A cicatriz fica na parte profunda do umbigo, praticamente imperceptível. O outro procedimento cirúrgico usado é a abdominoplastia”, afirma o médico.

A recuperação depende do procedimento. Os mais simples não necessitam de repouso. O fio pode deixar a área roxa, e, nesse caso, o paciente deve evitar tomar sol. A onfaloplastia demanda uma semana sem exercícios que exijam esforço. Já a abdominoplastia requer descanso de três semanas e três meses sem exposição ao sol.

“A grande dificuldade é fazer o paciente entender que, dependendo do caso, os procedimentos minimamente invasivos não vão funcionar. O melhor resultado pode vir apenas com cirurgia. Procure um profissional habilitado, para não jogar dinheiro fora e receber o diagnóstico adequado”, frisa Carlos Manfrim.



COMENTE

 
cirurgia plásticaumbigoOnfaloplastia

Leia mais: Beleza