Como a hipnose pode aumentar os resultados em concursos públicos

Técnica terapêutica aumenta a concentração e a memorização de conteúdos cobrados nas provas

atualizado 01/12/2019 19:59

Reprodução

A concentração e a manutenção do foco durante os estudos são pontos determinantes para que o projeto de ser aprovado em concursos se concretize. Essas habilidades são desafios enormes para os concurseiros que têm pela frente uma grande quantidade de conteúdos para aprender para as provas. Por isso, a hipnoterapia tem sido uma alternativa eficiente para ajudar os candidatos.

A técnica terapêutica que tem por objetivo atingir um estado de concentração e foco absolutos por meio do relaxamento feito comando verbais e não-verbais. Pode ser aplicada por um profissional ou de maneira autônoma e não tem contraindicação. “Qualquer pessoa pode ser hipnotizada desde que ela queira, que exista uma compreensão com que está sendo dito, que siga as instruções”, explica o hipnoterapeuta Rogério Ferreira.

A hipnose tem um amplo uso em diversos casos como fobias e medos, ansiedade, síndrome do pânico, disfunções sexuais, gagueira, transtorno obsessivo-compulsivo (TOC) e é recomendada como coadjuvante para tratamento da depressão. Segundo Rogério, todo profissional sério cumpre um código de ética que orienta a não trabalhar a hipnoterapia em casos que não podem ser tratados com outras terapias.

A prática que começou ainda no Egito antigo não anda sozinha. É usada em associação a outras técnicas como as ferramentas da psicologia cognitiva-comportamental e da Programação Neurolinguística (PNL). “Os resultados de outras terapias são potencializados pela hipnoterapia. Se uma pessoa está fazendo um tratamento com um psicólogo, por exemplo, poderá ter resultados ainda melhores se associado às sessões de hipnoterapia”, explica Rogério.

Apesar de ter resultados comprovados e rápidos, a hipnose ainda enfrenta preconceito e resistência. O terapeuta atribui esse comportamento ao desconhecimento. “Hipnose não é nenhum bicho de sete cabeças. As pessoas às vezes acham que vai dormir, vai viajar e quando acordar vai estar com todos os problemas dela resolvidos e não é isso”.

Benefícios aos concurseiros

Os maiores benefícios para os concurseiros são percebidos com a aumento do entendimento de como a mente funciona e exploração de suas capacidades. Por meio da hipnoterapia, é possível controlar o nervosismo durante as provas e melhorar a memorização das disciplinas considerados difíceis. O terapeuta relata como é o processo. “A hipnose não faz milagre, mas depois de estudar bem uma matéria difícil criamos âncoras para ativar a memória mais rápido e lembrar desses conteúdos”.

Para a hora da prova, Rogério ensina uma técnica de ampliação de visão periférica criada pela hipnoterapeuta Melissa Tiers que muda o estado de ansiedade. “Quando há um pensamento ansioso, é criado um caminho de rato, com pensamentos repetitivos, e com essa técnica não há como o cérebro resistir aos comandos”. A prática leva de três a cinco minutos e pode ser feita em qualquer ambiente ou situação.

Sentado, acalmando a respiração e sem mover a cabeça em nenhum momento, o concurseiro foca em um ponto fixo à sua frente e começa a observação de cada pormenor minuciosamente com os olhos. Quanto mais detalhes, melhor a experiência. Cores, formatos, texturas, cheiros e sons são relevantes.

A partir do ponto fixo, vai-se aumentando o raio de percepção aos poucos, mantendo a minúcia da observação pausadamente. Quando a amplitude da visão tiver sido alcançada, passa-se a imaginar o restante do ambiente que fica fora do raio possível até fechar todo o cenário. Feito isso, o passo seguinte é seguir o caminho inverso até voltar à posição inicial. “É um jeito simples de sair do estado ansioso e obriga o cérebro a fazer novas conexões neurais como um todo, desviando a atenção dos pensamentos repetitivos”, conclui.

Mais lidas
Últimas notícias