Novas manchas marcam o último ano de governo no Distrito Federal

Fechamento da Pediatria do Hospital do Gama. Desmonte da UTI Pediátrica do Hospital de Santa Maria. Inutilização de leitos de enfermarias e de UTIs por falta de pessoal. Desrespeito aos servidores da Saúde. Encerramento de postos de atendimento à população. Fim de serviços por falta de pagamentos de contratos. Morte de 1.261 pacientes à espera de um […]

SindSaúde/Divulgação

atualizado 15/08/2018 16:56

Fechamento da Pediatria do Hospital do Gama. Desmonte da UTI Pediátrica do Hospital de Santa Maria. Inutilização de leitos de enfermarias e de UTIs por falta de pessoal. Desrespeito aos servidores da Saúde. Encerramento de postos de atendimento à população. Fim de serviços por falta de pagamentos de contratos. Morte de 1.261 pacientes à espera de um leito de UTI, entre 2015 e julho de 2017. Essa lista é parte da herança que Rodrigo Rollemberg está deixando para o Governo do Distrito Federal.

Para o SindSaúde-DF, tudo isso é fruto de um modelo de gestão incompetente. Para completar o legado da atual gestão, há uma equipe de governo citada em operações da Polícia Civil que investigam suspeitas de corrupção. Um irmão do governador também é citado em operação que investiga suposto tráfico de influência e advocacia administrativa, praticados por uma organização criminosa que, segundo a polícia, age no Palácio do Buriti.

Uma gestão marcada por cortes de serviços, de pessoal e de gastos desnecessários no Palácio do Buriti e na Casa Oficial do Governo.

Além disso, deixaram uma previsão orçamentária na Saúde de 38% menor que o mínimo necessário para o próximo ano. O SindSaúde teve acesso com exclusividade a um relatório da Gerência de Planejamento em Saúde que informa ao Gabinete da Secretaria de Saúde não haver condições de investimentos na área com o valor previsto hoje na Secretaria de Planejamento.

Enquanto o caos se instala na Saúde Pública e as denúncias são divulgadas pela Polícia Civil, Rollemberg adota uma postura de ataque em relação aos denunciantes. Assim como sempre foi sua postura contra o SindSaúde, hoje faz com a própria Polícia Civil e também contra os veículos de comunicação que se prestam ao papel de esclarecer ao eleitor quem são os gestores e os candidatos às vagas no Governo do DF.

Para o SindSaúde, não é novidade que exista corrupção neste governo. Com outros atores e outros enredos, muito se revelou a respeito dos bastidores do Executivo local. Já se falou em 10% de propina, mas pelo jeito, há muito mais do que supõe a nossa vã desconfiança.

Enquanto o atual governador prefere tentar desqualificar seus denunciantes, recém-nascidos estão sofrendo por falta de cateteres em hospitais, crianças são tiradas de UTI sem aviso, além de outras atrocidades praticadas contra os usuários do Sistema Público de Saúde.

Para alívio do povo do Distrito Federal, faltam poucos meses para aguentar essa situação caótica. A população pode estar indecisa sobre o que quer, mas tem uma certeza: #RollembergNuncaMais

Últimas notícias