Primeira mulher afegã nas Olimpíadas tenta salvar compatriotas do Talibã

Friba Rezayee disputou as Olimpíadas de 2004, em Atenas, e hoje busca auxiliar atletas que buscam seguir os seus passos

atualizado 24/09/2021 15:09

Reprodução/Federação Internacional de Judô

Mesmo muito longe de casa, a afegã Friba Rezayee segue apoiando as mulheres que buscam uma vida no esporte em seu país natal. A primeira mulher a representar o seu país em uma Olimpíada mora no Canadá há 10 anos, e busca um jeito de resgatar aquelas que estão tentando seguir os seus passos e abandonar o Afeganistão. A informação é do Globoesporte.

Friba é responsável pela ONG Women Leaders of Tomorrow e busca apoio dos governos dos Estados Unidos e do Canadá para retirar essas pessoas do país, além de levar educação online, já que as mulheres também estão impedidas de estudarem e são obrigadas a ficarem em casa.

Desde agosto, quando o Afeganistão foi tomado pelo Talibã, as mulheres foram impedidas de praticar qualquer tipo de esporte, por esta ser considerada uma prática pecaminosa, que deixa em evidência os seus corpos.

Por conta disso, diversas meninas e mulheres estão sendo perseguidas e procuradas, e tiveram até que se desfazer de artigos esportivos. 

Em 2004, Friba Rezayee foi a pioneira do Afeganistão nas Olimpíadas. Ela lutava judô e ficou famosa em seu país. Porém, essa participação também rendeu críticas e ameaças, o que a fez ficar escondida e temer pela segurança de seu país.

Com a situação, ela foi para o Paquistão e, algum tempo depois, se mudou para o Canadá, onde vive até hoje.

 Quer ficar por dentro de tudo que rola no mundo dos esportes e receber as notícias direto no seu Telegram? Entre no canal do Metrópoles: https://t.me/metropolesesportes

Últimas notícias