Virologista da Fiocruz alerta sobre potencial pandêmico de novo influenza

O vírus transmitido por porcos foi encontrado pela primeira vez no Paraná, em uma trabalhadora de um matadouro

atualizado 27/07/2020 15:05

A chefe do Laboratório de Vírus Respiratórios e Sarampo da Fundação Oswaldo Cruz (IOC/Fiocruz), Marilda Siqueira disse que o “Brasil precisa estar alerta” para as consequências do vírus A H1N2, encontrado no estado do Paraná.

Em entrevista ao jornal O Globo, ela disse que o vírus transmitido de porcos para os seres humanos é uma nova variante do vírus influenza, genomicamente diferente de todas as amostras relatadas desde 2005 e apresenta potencial pandêmico.

O caso de uma mulher de 22 anos do município de Ibiporã, no Paraná, infectada com o vírus, foi registrado em abril. Ela trabalhava em um matadouro, onde provavelmente foi contaminada. Os sintomas foram semelhantes a uma gripe leve e ela se recuperou.

“Precisamos manter vigilância intensa e constante porque as pandemias de H1N1 e do coronavírus Sars-CoV-2 deixam mais do que evidente como vírus respiratórios podem ser devastadores”, disse ao jornal.

A virologista ressaltou que os influenza são altamente contagiosos e a população não tem imunidade contra eles. A equipe de Marilda busca por casos locais para descobrir o grau de risco do A H1N2. Os cientistas analisam 3 mil amostras de moradores de Ibiporã e Londrina que tiveram doença respiratória nos últimos meses que não foram diagnosticadas como Covid-19.

Últimas notícias