Vida pós Covid-19: Unicamp estuda quanto tempo sequelas podem persistir

Pesquisadores vão acompanhar grupo de 500 pessoas que passaram pela infecção provocada pelo novo coronavírus

atualizado 30/07/2020 16:07

Pulmão, coronavírus Getty Images

Ciente de que os sintomas da Covid-19 podem persistir por meses após a cura, a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) conduz um estudo com cerca de 500 pessoas para monitorar quanto tempo pessoas infectadas pelo novo coronavírus podem apresentar sequelas.

De acordo com os pesquisadores, 70% dos pacientes com Covid-19 relataram sintomas da doença mesmo após terem se livrado do vírus. Eles irão acompanhar os voluntários durante três anos, com exames de ressonância magnética do cérebro e também testes neurológicos e cognitivos.

A neurologista e professora da Unicamp, Clarissa Lin Yasuda, lidera a pesquisa. “As principais queixas são cefaleia e fadiga. Mesmo depois de livre do vírus, já faz dois, três meses, e as pessoas continuam não se sentindo bem”, afirmou a pesquisadora, em entrevista ao SBT.

De acordo com o levantamento da universidade, 90% das pessoas que se inscreveram como voluntários do estudo tiveram sintomas leves durante a doença. Isso demonstra que, mesmo em quadros mais brandos, a Covid-19 pode deixar sequelas.

Mais lidas
Últimas notícias