Vacina que permitirá a celíacos consumir glúten está sendo testada

O medicamento pretende aumentar a imunidade às proteínas que formam o glúten e interromper inflamações causadas em pacientes com a doença

kapulya/istockkapulya/istock

atualizado 18/02/2019 14:48

Pacientes com doença celíaca já podem ter esperança: uma vacina está sendo testada. Com investimento de US$ 40 milhões, uma indústria farmacêutica americana chamada ImmusanT desenvolveu o medicamento e deve começar testes na Austrália.

O objetivo da vacina é melhorar o sistema imune dos celíacos para lutar contra as proteínas que formam o glúten, evitando a inflamação que acontece quando se ingere alimentos com a substância. Segundo Jason Tye-Din, um dos diretores da pesquisa e gastroenterologista do Royal Melbourne Hospital, onde o remédio será testado, até 90% das pessoas com a forma genética HLA-DQ2 da doença podem ser beneficiados.

Atualmente, não há tratamento para pacientes celíacos. A única maneira de controlar a condição é cortando o glúten da dieta – caso contrário, alguns dos sintomas principais são diarreia, dor abdominal, inchaço, fadiga e vômitos.

Apesar de parecer milagrosa, quem for vacinado não poderá comer glúten imediatamente. O processo de aumento da imunidade será lento e gradativo. Os pesquisadores pretendem observar como será a resposta do organismo ao medicamento para torná-lo mais eficiente.

Últimas notícias