Vacina Covaxin gera alta resposta imunológica, afirma pesquisa

Os dados correspondem a fase 2 dos ensaios clínicos e foram publicados na revista The Lancet

atualizado 09/03/2021 13:01

vacina indiana covaxin covid coronavírus sarsBharat Biontech/Divulgação

O estudo clínico de fase 2 da vacina Covaxin, desenvolvida pela farmacêutica indiana Bharat Biotech, mostrou que o imunizante é seguro e capaz de gerar altos níveis de anticorpos contra o novo coronavírus. A pesquisa foi publicada na segunda-feira (8/3) pela revista The Lancet, uma das mais prestigiadas do meio científico. Os dados foram revisados por pares (cientistas independentes).

As informações são baseadas no estudo realizado com 380 participantes adultos e adolescentes, com idades entre 12 e 65 anos, que receberam as duas doses do imunizante na Índia.

As respostas dos anticorpos neutralizantes foram significativamente maiores quando a segunda dose da injeção foi aplicada com intervalo de quatro semanas, o dobro do tempo do protocolos inicialmente usado. Segundo o artigo, “não foram observadas diferenças imunológicas entre homens e mulheres ou entre grupos de idade”.

Os pesquisadores destacaram que são necessários mais estudos para acompanhar os resultados entre as pessoas com idades entre 12 e 18 anos e 55 e 65 anos e em uma população com diversidade étnica e de gênero.

A Covaxin (ou BBV152, como é chamada pelos pesquisadores) é uma vacina de vírus inativado que pode ser armazenada a temperatura de 2 a 8 ° C, o que facilita o seu transporte e armazenamento.

O Ministério da Saúde assinou em fevereiro um contrato que garante a compra de 20 milhões de doses do imunizante para o Brasil. As primeiras 16 milhões de doses devem chegar entre março e abril.

Enquanto isso, a farmacêutica indiana tenta acelerar o processo de aprovação do uso emergencial da vacina junto à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Na próxima terça-feira (16/3), a Bharat Biotech e a agência reguladora têm uma reunião para que os técnicos da agência possam avaliar se já há dados suficientes para que o laboratório faço o pedido de uso emergencial.

Veja como são as etapas dos estudo de vacinas:

0

 

 

Mais lidas
Últimas notícias