Bharat Biotech fecha acordo com empresa brasileira para oferecer vacina

Convênio com Precisa Medicamentos pretende priorizar o fornecimento para o setor público. Vacina ainda precisa ser aprovada pela Anvisa

atualizado 13/01/2021 10:30

vacina indiana covaxin covid coronavírus sarsBharat Biontech/Divulgação

A empresa indiana de biotecnologia Bharat Biotech assinou, nesta terça-feira (12/1), um acordo com a farmacêutica Precisa Medicamentos para fornecer a vacina contra a Covid-19 no Brasil. O imunizante Covaxin está entre os cogitados para o programa de vacinação do governo brasileiro, que afirma ter assinado memorando de entendimento com a Bharat Biotech, responsável pela fórmula.

O acordo entre as empresas prevê a priorização de doses para o setor público, segundo comunicado enviado pela Precisa Medicamentos. Por enquanto, não há contrato formal entre a Bharat Biotech e o governo federal para a compra de doses da vacina indiana.

Para chegar ao mercado privado brasileiro, a vacina indiana precisa ser autorizada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Além da Covaxin, a Bharat Biotech testa outro imunizante contra o coronavírus, ainda em fase pré-clínica. A administração desta segunda vacina é via nasal, ou seja, não necessita de agulha para a aplicação.

A Covaxin funciona com um vetor inativado, ou seja, usa o próprio coronavírus manipulado em laboratório para que ele não consiga se reproduzir dentro do organismo. Uma vez que o corpo reconhece o invasor, cria uma defesa específica e, caso o paciente seja exposto novamente ao patógeno, o organismo saberá como agir.

Entenda o cenário das vacinas no Brasil:
0

 

Na semana passada, uma equipe da Precisa Medicamentos visitou as instalações da empresa indiana para avaliar a possibilidade da exportação da Covaxin para o Brasil. Emanuela Medrades, diretora técnica da farmacêutica, informou em nota que os profissionais observaram “altíssimos níveis tecnológicos, científicos e de controles sanitários”. A equipe também constatou “excelentes resultados obtidos nos testes clínicos”, que serão publicados em breve.

De acordo com informações da Folha de S. Paulo, a Anvisa ainda não recebeu pedido de estudo ou análise contínua da Covaxin no Brasil. Também não há, até agora, pedido de aprovação para uso emergencial da vacina indiana no país. Em 4 de dezembro, o órgão reuniu-se com representantes da Precisa Medicamentos para apresentar esclarecimentos sobre registro de vacinas e uso emergencial. Desde então, o laboratório não voltou a entrar em contato.

Últimas notícias