Trocar carne vermelha pela branca pode reduzir risco de câncer de mama

De acordo com pesquisa, mulheres que deram preferência ao consumo de frango na dieta apresentaram menor taxa de incidência de tumores

Kritchanut, IstockKritchanut, Istock

atualizado 08/08/2019 19:41

Pesquisadores da US National Cancer Institute acreditam que o consumo da carne de frango pode ser um protetor contra o câncer de mama. O trabalho foi publicado no International Journal of Cancer.

O estudo contou com a colaboração de 42.012 mulheres, acompanhadas por pesquisadores por meio de questionários durante sete anos e meio. No primeiro ano do levantamento, foram diagnosticados 1.536 cânceres de mama. As participantes que mais consumiram carne vermelha tiveram um risco 23% maior de apresentar os tumores quando comparadas àquelas que ingeriram o alimento em menor quantidade.

Em contrapartida, as mulheres que consumiram mais aves do que carne apresentaram 15% menos chance de desenvolver câncer de mama. O risco da doença diminuiu ainda mais entre aquelas que substituíram totalmente a carne vermelha pela carne branca: em média, essas participantes apresentaram 28% menos chances de ter câncer.

Pela pesquisa, não é possível dizer ainda o que leva o frango ser menos nocivo para a saúde do que a carne vermelha. De acordo com os pesquisadores, contudo, já se sabe que a carne vermelha contém compostos causadores de câncer, enquanto a carne de frango estaria ligada à baixa atividade mutagênica. A carne branca também reduziria o estresse interno do corpo, diminuindo danos ao DNA.

O câncer de mama é o tipo da doença mais comum entre as mulheres – no mundo e no Brasil, depois do de pele, correspondendo a cerca de 25% dos casos novos a cada ano, segundo dados do Instituto Nacional de Câncer.

Últimas notícias