Saiba o que fazer em caso de picadas de escorpião

Christian Souza de Jesus, de 4 anos, morreu após ser atacado por um animal peçonhento na casa onde vivia com a família, em Taguatinga

Toninho Tavares/Agência Brasília

atualizado 02/07/2019 17:39

Christian Souza de Jesus, de 4 anos, morreu na última sexta-feira (28/06/2019) após ser atacado por um escorpião na casa onde vivia com a família, em Taguatinga. A criança chegou a ser levada ao hospital da cidade, mas não resistiu ao veneno inoculado em seu corpo. A gravidade dos casos de picadas de escorpião depende da quantidade de veneno injetada, da imunidade da vítima e do atendimento prestado. A recomendação é procurar um médico imediatamente.

Os sintomas da picada de escorpião são vermelhidão, inchaço e dor no local. Nos casos mais graves, podem ocorrer enjoos, vômitos, dores de cabeça, espasmos musculares e queda da pressão.

Em caso de picada de escorpião, os primeiros socorros são:

  • Lavar o local da picada com água e sabão;
  • Manter o local da picada voltado para cima;
  • Não cortar, furar ou apertar o local da picada;
  • Beber bastante água;
  • Ir o mais rápido possível a um pronto-socorro.

O Centro de Informações Tóxicas do DF também está disponível no número 0800-644-6774 para as primeiras orientações em situações do gênero.

O tratamento inclui compressas com água morna para aliviar a dor local e o uso de analgésicos ou anti-inflamatórios, como dipirona ou ibuprofeno, receitados pelo médico. Em pacientes com sintomas mais graves, é necessário soroterapia para cortar o efeito do veneno no organismo. Nesses casos também é feita a hidratação com soro fisiológico na veia e a observação é mantida até que os sintomas tenham desaparecido.

Existem cerca de 30 espécies de escorpião no Brasil, sendo que as mais perigosas são: o amarelo, o marrom, o amarelo do nordeste e o escorpião preto da Amazônia. (Com informações do portal Tua Saúde)

Últimas notícias