Pesquisadores descobrem que fezes podem transmitir coronavírus

Estudo feito em Wuhan descobriu que 10% dos pacientes internados teve diarreia antes de começar a apresentar sintomas respiratórios

atualizado 11/02/2020 11:43

NIAID/RML

A cada dia, mais informações a respeito da infecção por coronavírus são publicadas em revistas internacionais. Segundo cientistas chineses que estudaram pacientes internados com a doença no hospital de Wuhan, é possível que as fezes sejam uma forma secundária de transmissão do vírus.

Os pesquisadores descobriram que 10% dos pacientes internados tiveram diarreia antes de começar a apresentar febre e sintomas respiratórios, sinais já conhecidos do coronavírus. A primeira pessoa diagnosticada com a doença nos Estados Unidos também declarou ter tido diarreia e o vírus foi encontrado em suas fezes.

“É importante destacar que o 2019-nCoV foi reportado em fezes de pacientes com sintomas abdominais atípicos, similares aos da Sars (Síndrome Respiratória Aguda Grave), que também apareceu na urina, o que sugere uma via de contágio fecal altamente transmissível”, declarou William Keevil, professor de saúde ambiental da Universidade de Southampton, em um comentário no Science Media Center, do Reino Unido.

A Sars, um vírus da mesma família que o coronavírus, infectou várias pessoas pela evaporação de fezes transportada pelo vento.

De acordo com especialistas, a informação de que as fezes podem transmitir a doença pode tornar a contenção do coronavírus um pouco mais complicada, mesmo que o tratamento esteja acontecendo dentro de hospitais. A recomendação, enquanto o estudo não é aprofundado, segue a mesma: lavar as mãos com frequência e evitar levá-las à boca, olhos ou nariz quando não estiverem higienizadas. (Com informações da Istoé)

Últimas notícias