Paraguai aprova uso emergencial da Sputnik V, vacina a ser produzida no DF

Mais de 1,5 milhão de pessoas já receberam a vacina russa no mundo. O pedido para uso no Brasil deve ser feito à Anvisa nesta semana

atualizado 15/01/2021 10:58

Sputnik VSputnik V/Divulgação

O Fundo Russo de Investimento Direto (RDIF) informou, nesta sexta-feira (15/1), que o Ministério da Saúde do Paraguai aprovou o uso emergencial da vacina Sputnik V contra o coronavírus, produzida pelo Instituto Gamaleya.

Mais de 1,5 milhão de pessoas já foram vacinadas com a Sputnik V no mundo. Além da Rússia, Argélia, Argentina, Bolívia, Sérvia, Bielorrússia, Palestina e Venezuela já aprovaram o uso do imunizante. O processo de aprovação na União Europeia já foi iniciado.

Para o CEO do fundo russo, Kirill Dmitriev, o registro no Paraguai comprova o crescente interesse dos países latino-americanos por uma vacina russa segura e eficaz contra o coronavírus.

“Esperamos que mais países da região também o aprovem em breve e estejam prontos para criar novas parcerias para reunir esforços na luta contra a pandemia”, disse Dmitriev em comunicado.

O RDIF e a farmacêutica brasileira União Química fecharam um acordo na última quarta-feira (13/1) para o fornecimento de 10 milhões de doses da Sputnik V no primeiro trimestre de 2021, com as primeiras entregas programadas para janeiro.

O pedido para uso emergencial no Brasil deve ser feito ainda nesta semana à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). A vacina será produzida no DF.

0

 

 

Mais lidas
Últimas notícias