OMS pede que dados da vacina de Oxford sejam apresentados a cientistas

Cientista-chefe da agência internacional quer que empresas aumentem a transparência na divulgação de protocolos de pesquisa e resultados

atualizado 27/11/2020 16:41

vacinasKarl Tapales/Getty Images

Em entrevista coletiva na tarde desta sexta-feira (27/11), a Organização Mundial de Saúde (OMS) disse que é “difícil opinar” sobre as dúvidas levantadas a respeito da vacina de Oxford. Até aqui, a OMS só se teve acesso a um documento destinado à imprensa e ainda não há estudos publicados para que a comunidade científica possa revisar e avaliar os dados.

Nos últimos dias, a AstraZeneca, responsável pela vacina, anunciou que a imunização tem 90% de eficácia e, logo depois, reconheceu que houve um erro de dosagem na dose administrada a parte dos voluntários. Depois de muitas críticas, e empresa admitiu que fará testes adicionais da fórmula.

“Até onde entendemos, há algo interessante a ser observado, mas muitos motivos podem explicar essas diferenças. Precisamos de mais informações e incluir avaliações de cientistas. Ainda está cedo, mas precisamos ver além de um release de imprensa”, explica Katherine O’Brien, diretora do departamento de imunizações, vacinas e biológicos da OMS.

Soumya Swaminatha, cientista-chefe da OMS, alertou ainda que é preciso transparência neste processo, não só para que outros pesquisadores possam comparar resultados, mas para garantir que as pessoas tenham confiança na imunização e que os governos possam tomar decisões conscientes sobre qual vacina adquirir. “Faça um pedido para quem ainda não publicou os protocolos: os deixem disponíveis. É bom para as agências regulatórias, para a OMS e para a população”, diz.

0

Últimas notícias