OMS confirma casos de varíola dos macacos em crianças e adolescentes

Em coletiva, entidade informa que há três pessoas com menos de 18 anos infectadas com o vírus

atualizado 29/06/2022 13:57

imagem de tubos de ensaio sinalizando resultado positivo para varíola dos macacosVinícius Schmidt/Metrópoles

Em entrevista coletiva nesta quarta-feira (29/6), a Organização Mundial de Saúde (OMS) anunciou que já foram registrados casos de varíola dos macacos em crianças e adolescentes. Segundo a entidade, há dois diagnósticos confirmados no Reino Unido, e um sendo investigado na França. Todos os pacientes estão com sintomas leves.

“Não temos casos severos, mas é um grupo que nos preocupa. Precisamos fazer o possível para controlar o surto”, explica o gerente de incidentes da OMS, Abdi Mahamud.

O diretor-geral da entidade, Tedros Adhanom Ghebreyesus, afirma que, apesar de a varíola dos macacos ainda não ser considerada uma emergência de saúde pública de importância global, existe um urgência em organizar uma resposta coordenada internacional. O comitê de especialistas deve se reunir novamente para reavaliar a situação quando forem recolhidos novos dados.

Segundo Tedros, a doença já foi identificada em mais de 50 países, e há preocupação com a transmissão sustentada do vírus. “Isso sugere que a doença está se estabelecendo e pode infectar grupos de alto risco, como crianças, pessoas imunocomprometidas e gestantes. Já estamos começando a ver casos de crianças infectadas”, diz.

Ghebreysus pede que os países aumentem a vigilância epidemiológica para a doença e a testagem. A resposta também deve envolver as comunidades, conscientizando-as sobre sintomas e formas de transmissão. “Com grandes aglomerações acontecendo ao redor do mundo, existem oportunidades de acabar com o estigma ao redor do vírus e disseminar informação para que as pessoas possam se proteger“, ensina o diretor-geral.

0

Ele lembra ainda que a entidade está atuando junto à comunidade LGBTQI+ para conscientizar a população sobre como evitar a infecção. Por último, a OMS pede que se melhore o acesso aos antivirais e vacinas que funcionam para tratar a varíola dos macacos0 e prevenir a infecção.

O diretor de emergências da entidade, Michael Ryan, afirma que apesar de existirem poucos imunizantes disponíveis, os países que os possuem se mostraram dispostos a dividir as doses para evitar que o vírus se espalhe ainda mais.

Mais lidas
Últimas notícias