Ômicron: saiba qual sintoma incomum pode aparecer em crianças pequenas

Segundo especialistas americanos, crianças com menos de cinco anos diagnosticadas com a variante apresentaram um sintoma específico

atualizado 07/01/2022 16:44

baona/Getty Images

Médicos americanos identificaram em crianças com menos de cinco anos diagnosticadas com a Ômicron um sintoma específico que não aparecia nas variantes anteriores do coronavírus. A tosse forte, que soa como um latido, tem preocupado os pais dos pequenos.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), a variante causa esse tipo de sintoma porque o vírus se instala na parte superior do trato respiratório. O médico Buddy Creech, especialista em doenças infecciosas pediátricas e diretor do Programa de Pesquisa de Vacinas Vanderbilt, disse à NBC News que “as vias aéreas das crianças são tão estreitas que é preciso muito menos inflamação para obstruí-las”.

Assim, quando as crianças respiram por essas vias inflamadas, é causada uma irritação no local, que provoca uma tosse característica. O som é semelhante ao de um cachorro ou uma foca.

A pediatra Amy Edwards também identificou um aumento nesse tipo de tosse em crianças com Covid-19. Porém, a especialista afirma que o sintoma não é preocupante.

“A tosse forte pode ser assustadora de se ouvir, mas não significa que haja algum problema com os pulmões. O principal tratamento é manter as vias aéreas superiores abertas e desobstruídas até que a inflamação diminua”, esclarece.

Os sintomas da Ômicron em crianças não são tão bem relatados até o momento, mas entre os principais sinais observados estão:

  • Febre;
  • Crise de tosse contínua;
  • Perda ou mudança no sentido do olfato ou paladar;
  • Fadiga;
  • Congestão ou nariz escorrendo;
  • Dor de cabeça;
  • Dor de garganta;
  • Perda de apetite;
  • Dores no corpo.
0

Estudos no Reino Unido mostram que a Ômicron é mais leve do que outras cepas, com o risco de hospitalização 50% a 70% menor do que com Delta. As variantes anteriores do vírus penetram mais profundamente nos pulmões, razão pela qual causariam um agravamento da doença.

Mais lidas
Últimas notícias